O Date Perfeito | Crítica

O Date Perfeito (The Perfect Date, 2019) acaba por ser nada mais do um filme criado perfeitamente pela Netflix ao usar aquilo que o serviço de streaming coleta quando o usuário entra com seu login e senha por lá: dados de audiência.

E a Netflix conseguiu aqui, trabalhar e criar um novo conteúdo feito perfeitamente para o que a gigante acha que o público quer ver na plataforma, tudo baseado em números, códigos e algoritmos. Assim, em O Date Perfeito, a Netflix tenta criar uma combinação perfeita que une um elenco de astros teen, queridinhos pela sua audiência, formados por Noah Centineo de Para Todos os Garotos que Já Amei e Camila Mendes da série Riverdale.

Mas será que deu certo?

Noah Centineo in The Perfect Date (2019)
O Date Perfeito – Crítica | Foto: Netflix

Sim e não. Aqui, não importa se O Date Perfeito tem um roteiro perfeitinho, amarrado e bem feito, a plataforma entrega, apenas, uma história minimamente funcional, afinal, sabe que para o público alvo do filme isso não importa 100%, aqui, eles estão pelos atores, e não por detalhes técnicos e outras especificações.

Com falamos, em O Date Perfeito, a Netflix conta que audiência vai assistir o novo filme de Noah Centineo ao colocar o ator no papel principal. E aqui, Centineo só esbanja carisma em seu terceiro projeto com o serviço de streaming, mesmo que o longa acabe por ser o mais apressado de todos na parceria entre a Netflix e o ator e que parece ter sido feito e produzido a toque de caixa.

Centineo usa, até cansar, o total potencial de seu charme em O Date Perfeito, e mesmo sendo o principal chamariz do filme, o ator é engolido pela colega de cena, a talentosa Laura Mariano que realmente rouba todos os minutos que participa. O principal mérito de O Date Perfeito, talvez, seja entregar um coming of age bem tecnológico e que acabar por ser uma produção bem divertida, no final das contas.

Ao vermos o jovem Brooks (Centineo) criar um app de celular para ser o parceiro perfeito de jovens no ensino médio, O Date Perfeito faz o espectador comprar sua idéia e mostrar as desventuras do jovem para colocar o projeto de pé, junto com seu melhor amigo Murph (
Odiseas Georgiadis
, bom), e assim, juntar dinheiro para entrar numa prestigiada faculdade.

O Date Perfeito – Crítica | Foto: Netflix

E como falamos, o roteiro da dupla Steve Bloom e Randall Green, é simples, afinal, logo quando Brooks atende sua primeira cliente, a descolada e rebelde wanna-be Celia (Laura Marano), já sabemos onde, como, para onde vai a trama e como a história deve terminar. Mas, as interações entre os personagens, o caminho percorrido de Brooks para tentar conquistar aquilo que ele acha ser sua vida do sonhos, os tropeços e acertos são as coisas que fazem O Date Perfeito ficar interessante, mas longe de ser um filme teen perfeito.

No final, O Date Perfeito é como acompanhar um encontro em três etapas, com café, jantar e cinema, onde as regras são definidas logo no começo, cabe o espectador saber como irá aproveitar, embarcar na onda e curtir.

Nota do Crítico:

O Date Perfeito já disponível na Netflix.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales