My Hero Academia #8 | Resenha

E finalmente vemos o teste prático de Midoriya e seus amigos para poderem concluir o semestre, e My Hero Academia não brinca em serviço na busca de tornar esses jovens aprendizes de herói em homens de coragem e força. Kohei Horikoshi sabe nos conquistar com cada um desses garotos.

O teste de Midoriya e Bakugo é cheio de falhas, principalmente por eles não se conversarem, e All Might faz o possível para ver o poder deles unidos. All Might não mostra muita piedade, sabendo o que os esperam do lado de fora, mas até que os dois rapazes, quando não estão brigando, funcionam bem nas táticas.

Outra dupla que chama a atenção no teste é Yaoyorozu e Todoroki, o rapaz acaba agindo de forma a inspirar confiança na garota, que teme não ser tão boa quanto os amigos, mas usa bem seus dons para distrair o professor Aizawa e copia suas faixas, deixando-o confuso.

É muito bacana ver cada um dos personagens serem desenvolvidos e mostrando novas facetas de seus poderes, como Asui, mas ainda queria que Mineta mostrasse ainda mais de si, e não só o lado mais pervertido e medroso.

Os vilões também começam a aparecer de forma mais tensa e aproveitando para se recrutar ainda mais pessoas que compartilhem com ele os mesmos ideias. Shigaraki se mostra cada vez mais insano e até seu encontro com Midoriya nos deixa meio tenso do que ele pode aprontar.

No fim temos o acampamento, onde eles terão tempo para se divertir, mas a princípio irão sofrer nas mãos das heroínas gatinhas donas do lugar, e do sobrinho ranzinza que anda com elas.

Mais uma edição sensacional! My Hero Academia se consolida como uma série interessante a cada mangá, principalmente pelo tanto de trama que consegue desenvolver ao mesmo tempo e se manter intensa em cada uma delas.

FICHA TÉCNICA

Título: My Hero Academia #8
Título Original: Buko No Hiro Academia #8
Autor: Kohei Horikoshi
Editora: JBC
Ano: 2018
Gênero: Ação, Aventura
Páginas: 200
Formato: 20,4 x 13,4 x 1,2 cm
ISBN: 978-85-457-0392-1

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.