Marvel – Punho de Ferro | 1×13 – Dragon Plays with Fire [Season Finale]

E chegamos ao momento final de Marvel – Punho de Ferro, e para quem curtiu e chegou a este ponto da série, já percebeu alguns pontos negativos e outros bem positivos. A maior questão para mim é quanto a algumas escapadas do roteiro para acelerar as coisas, e principalmente as cenas coreografadas de luta. No mais a série entrega o que propõe, reforça o universo Marvel na Netflix e deixa terreno para uma nova e também para a vindoura Marvel – Os Defensores.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Com o Tentáculo fora de circulação, ao menos por enquanto, já que vemos Madame Gao observando Joy e Davos ao final do episódio, Danny precisa lidar com as acusações de Harold e para isso tem Colleen e Claire ao seu lado. A correria contra ele sendo perseguido pela polícia e com a mídia em cima dele, só piora a situação.

Ward é quem acaba se mostrando mais lúcido e quando vê o pai usando forças poderosas para destruir Danny, acaba cedendo e pulando para o lado do colega. Inclusive é ele quem dá o ultimato no pai, que estava prestes a matar Danny em uma luta também um pouco sem sal no telhado do prédio. Ali é onde vemos que a força do Punho de Ferro precisa ser melhor trabalhada por Danny, que está em meio as sombras de suas decisões.

A morte de Harold não é lá essas coisas, mas dá mais forças a Ward, mesmo que ele matando o já morto pai, o deixe um pouco fora de si. Acredito que é essa mexida em sua cabeça e a morte do pai quem acaba fazendo Joy se unir a Davos para tomarem uma atitude contra Danny, o que chama a atenção de Gao.

Esta temporada termina com Danny indo até K’un L’un e não encontrando sua entrada, mas também com inúmeros homens do Tentáculo morto nas proximidades. Ele e Colleen, que ele assume que ama e decide levar com ele, começam a entender que há algo muito maior ainda para ser enfrentado em breve.

E Marvel – Punho de Ferro acaba assim, com algumas possibilidades, com a necessidade de melhor desenvolvimento de seus personagens, mas principalmente precisando de tramas mais fortes e menos redundantes. Das séries Marvel/Netflix lançadas até aqui, esta é a que menos me empolgou, mesmo que isso não signifique que ela seja necessariamente ruim. Vamos aguardar e ver como Danny e Colleen se sairão em Marvel – Os Defensores.

Fico por aqui, comentem e to be continued