Marvel – Manto e Adaga | 1×08 – Ghost Stories

E mais uma vez a simplicidade de Marvel – Manto e Adaga (Cloak and Dagger) me agrada e muito. A série apenas desenvolve as esperanças e medos de seus personagens, enquanto buscam soluções para os problemas que se envolveram por conta da explosão da plataforma da ROXXON. Gosto da forma como O’Reilly acaba sendo envolvida em tudo e como isso pode lhe afetar no futuro…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Do lado de Tandy, a temos compreendendo que pode trazer a solução para o nome de seu pai, ainda mais com a possibilidade de ir até Scarborough e colocá-lo contra a parede, já que sabe que existem documentos que mostram que Bowen fez tudo certo, e que Hess também sabia. A questão é que antes dela agir, deixando claro que queria tudo de volta, ela acaba descobrindo que a vida de sua mãe não era só felicidade.

Foi bem legal ver o dom dela e o de Ty se misturando e mostrando momentos de felicidade entre esposa e marido, para logo vir o medo, mostrando que Bowen batia nela. Foi duro para Tandy ver aquilo e sabendo que sua vida pode mudar e manter as coisas do pai daquela forma, acaba pedindo apenas dinheiro para Scarborough, nada de limpar a barra do pai.

Da mesma forma temos Ty indo até O’Reilly e Fuchs para que eles coloquem Connors atrás das grades. De posse do manto de Billy, ele usa seu poder para atormentar o policial, que se mostra com a cabeça cheia por conta do que houve, que só atirou no susto da explosão da plataforma. Só que Connors arrume o feito e O’Reilly o prende…

O pior é que mesmo preso Connors age e vemos Fuchs morto dentro de seu próprio refrigerador, descoberto assim pois O’Reilly foi comemorar com seu “novo” namorado a prisão do corrupto. O’Reilly surtando pode trazer consequências mais do que interessante, se lembrarmos que a personagem se torna a vilã Mayhem (Desordem) nos quadrinhos… Ansioso para ver o desenrolar de tudo.

Marvel – Manto e Adaga mostra que nada é preto no branco e que há uma gama de verdades e consequências por trás de todos os dramas. Simplesmente adorando como as coisas acontecem, e principalmente, as explicações, como o fato de ser manto e não capa, pois “manto te abraça”. Outra coisa bacana é como Marvel – Manto e Adaga se mostra conectada ao universo das séries da Netflix ao fazer referência à Misty Knight, de Marvel – Luke Cage, e a própria O’Reilly já ter sido citada na série do Poderoso.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.