Marvel – Manto e Adaga | 1×03 – Stained Glass

O 3º episódio de Marvel – Manto e Adaga vem para mostrar que a série não ficará em cima só dos poderes que Tyrone e Tandy adquiriram no acidente da Roxxon e que a magia também estará envolvida na mitologia da série, expandido mais o universo MCU para o lado místico, lembrando que Marcel – Luke Cage também envolverá poderes mágicos em seu novo vilão, Marvel – Fugitivos com os poderes de Nico, além de Marvel – Agentes da S.H.I.E.L.D. que já veio com o Motoqueiro Fantasma em sua 4ª temporada.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Tandy e Tyrone seguiram suas vidas depois do bizarro acidente que os colocaram frente-a-frente. Ambos seguiram suas vidas de forma abrupta, já que Tandy queria fugir logo dali por conta da polícia e sabendo que Brigid estava atrás dela, corre para o encontro de sua mãe, enquanto Tyrone se esgueira e volta para sua vida em sua casa e até para a escola.

Tandy precisa aprender a lidar com a mãe e Melissa chega até a esconder a filha de Brigid, mas elas não sabem como conduzir a situação. Achei legal Tandy indo atrás de Brigid para contar sua versão da história e como ela já desconfiava da situação do rapaz que ela machucou, que tinha arranhão no rosto e estava com o zíper aberto quando foi encontrado. O momento mais bacana é quando sua luz mostra o lado bom de Tyrone, seus momentos com o irmão e como sele sempre acaba mal em seus encontros com Connors, o policial que matou seu irmão. E falando em Connors, é ele quem acaba salvando a pele do rapaz que tentou estuprar Tandy, e deixa Brigid com a pulga atrás da orelha.

Já Tyrone faz de tudo para esquecer o que houve, mas acaba saindo com Evita e tirando a cabeça da situação. A garota o leva para os negócios de sua família, que conta a história do vodu em Nova Orleans e assim ele entra em contato com sua tia, Clarisse. Ela faz uma limpeza em Tandy e o mesmo acaba entrando para as suas trevas, vendo o pior momento de Tandy, que consiste em enxergar o pai sendo morto de inúmeros modos e ele busca uma forma de ajudá-la a escapar disso. Do fim da cena acabamos descobrindo que Clarisse realmente viu algo no rapaz e faz um boneco 3D dele, guardando-o ao lado de seus objetos de vodu.

Gostei do encontro de Tandy e Tyrone, e agora luz e trevas precisarão conversar e entender o que acontece entre eles, e como essa forte ligação liga seus poderes. A escolha de indas e vindas do roteiro de Ariella Blejer & Dawn Kamoche e Peter Calloway acaba se tornando um pouco cansativa, mas funciona até a junção das tramas. Ao menos sabemos que as histórias precisam se unir a partir deste ponto e mostrar um caminho seguir.

Marvel – Manto e Adaga se mantém interessante ao focar no drama de seus personagens, mantendo os poderes como consequência e não como meios para contar a história deles, que por si só já são interessantes.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.