Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo | Crítica

Mamma mia, here I go again
My my, how can I resist you?

Nessa sequência de Mamma Mia – O Filme (2008) temos claramente aquela sensação que em time vencedor não se mexe, onde os produtores pensaram “o show tem que continuar” e então fazem de Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo (2018) um filme mesmo que cansativo, exagerado e cafona uma experiência musical deliciosamente cativante.

Mas em apenas um olhar e eu posso ouvir um sino tocar para avisar se você for realmente muito fã do primeiro musical então essa sequência é para você. Sim, Mamma Mia 2 capricha na seleção musical (de novo!) e coloca (de novo!) todo mundo para cantar e dançar ao som das músicas da banda ABBA.

mamma mia 2 crítica
Foto: Universal Pictures

E ai, ai como eu senti a falta de ver o elenco talentoso composto por Christine Baranski, Julie Walters e Meryl Streep dançar efusivamente por uma ilha paradisíaca onde tudo parece dar certo, tudo é lindo e colorido. Na sequência, o diretor Ol Parker vem com câmera lá no alto e mostra um grande elenco de figurantes que saltita e pula ao som de ABBA seja em terra firme ou em barcos que navegam pela costa. O sentimento de grandiosidade é muito bem explorado em Mamma Mia 2 que sim tem de volta muitas das músicas do primeiro filme e basicamente meio que recicla a trama (bem pobrezinha) do primeiro filme. 

Mamma Mia, aqui vamos nós novamente e nessa sequência agora temos Sophie (a esforçada Amanda Seyfried) de volta à ilha para inaugurar seu hotel e onde claramente temos um evento a ser celebrado não é mesmo? Então, ela chama novamente seus três pais Sam Carmichael (Pierce Brosnan), Harry Bright (o sensacional Colin Firth) e Bill Anderson (Stellan Skarsgard) e as amigas de sua mãe Tanya (a ótima Christine Baranski) e Rosie (Julie Walters) todos de volta para a ilha. E então, temos via flashbacks a história de como Donna (Meryl Streep) veio parar na ilha, conheceu os três rapazes, criou memórias pós-faculdade e pontinhos pontinhos e pontinhos. 

Eu fui enganado por você, eu não sei desde quando e em Mamma Mia 2 parece que a história ficou muito mais repetitiva do que no primeiro filme, afinal, além de termos uma dobra de personagens (suas versões atuais e jovens) temos também uma troca, um pouco incômoda, na estrutura narrativa da trama. Se no primeiro filme, o fator de suspense (em saber quem é o pai?) era um fio condutor da história, aqui o dramalhão toma conta de Sophie onde temos tentativas de fazer um paralelo entre a história de mãe e filha. O roteiro então fica extremamente irregular e faz momentos extremamente empolgantes e contagiantes e outros com um marasmo gigante onde impera o sentimento de o que essa passagem faz aqui mesmo?

Alexa Davies, Lily James, and Jessica Keenan Wynn in Mamma Mia! Here We Go Again (2018)
Foto: Universal Pictures

Eu não posso contar todas às vezes que a trama me pareceu arrastada e que não ia para lugar nenhum onde a gente realmente só esperava uma próxima grande sequência musical acontecer. Lily James até segura as pontas e faz uma Donna versão jovem mais destemida e confiante em si mesma mas quem se destaca nos flashbacks são as amigas, a jovem Rosie (Alexa Davies) e a jovem Tanya (Jessica Keenan Wynn). Já os rapazes, Hugh Skinner como o jovem Harry, Josh Dylan como o jovem Bill e Jeremy Irvine como o jovem Sam, acabam por fazer apenas versões mais caricatas e canastronas dos personagens adultos. 

Mamma Mia…agora eu realmente sei que mesmo com esses percalços quando o filme se empenha ele te cativa, as sequências finais são majestosas e dignas de aplausos longos. Afinal, vemos a cantora Cher (mesmo numa rápida participação) roubar todas as cenas com sua voz rouca e cabelo platinado de “avô” ao cantar Fernando, onde ela ainda consegue deixar no ar um gostinho de quero mais que abre portas para o futuro (ou seria o passado?) em um possível próximo filme.

Então eu decidi, isso tem que ter um fim e no final das contas Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo é tudo que se espera de uma sequência sobre um filme só com músicas do ABBA, uma produção que você pode ser uma rainha dançante e se esbaldar em um longa estridente e vibrante que realmente acerta em ter um elenco super entrosado mesmo quando se tem uma história simples.

Nota do Crítico:

Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo em cartaz nos cinemas.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales