Live-action de Tokyo Ghoul estreia nos cinemas neste sábado

A Sato Company traz para o Festival de Ação Japonês o filme Tokyo Ghoul, baseado na série em mangá do autor Sui Ishida. O título, que já vendeu mais de 12 milhões de exemplares no Japão e foi listado como uma das HQs mais influentes pelo New York Times (2015), foi publicado no Brasil pela Panini Comics que atualmente está lançando Tokyo Ghoul Re, uma segunda série, com a continuação da história.

O diretor Kentaro Hagiwara traz para as telas do cinema o universo criado nos quadrinhos, onde, em Tóquio, criaturas conhecidas como ghouls vivem entre os humanos e os devoram para sobreviver. Em meio a isso um tímido estudante universitário, Ken Kaneki, passa por uma experiência traumática e se torna também um desses carniçais. Conforme aprende a viver com sua nova condição, ele conhece algumas criaturas que o ensinam a interagir nessa nova sociedade e suas facções, enquanto tenta coexistir com os humanos e a ameaça dos “pombos”, agentes especiais da CCG (Comissão de Contra Medidas Ghoul), que tem a simples missão de destruir todas as criaturas da região.

Este filme faz parte do Festival de Ação Japonês com exibições ÚNICAS em 33 salas de cinema pelo Brasil, em 29 cidades: São Paulo, Bauru, Belém, Brasília, Campinas, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Jaboatão dos Guararapes, João Pessoa, Jundiaí, Londrina, Manaus, Marília, Maringá, Natal, Porto Alegre, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, São José, São José do Rio Preto, São Luís, Sorocaba, Teresina e Uberlândia.

As sessões estão divididas entre os seguintes exibidores:

Espaço Itaú de Cinema: 15 de setembro – 17h30
Cinearte Petrobras: 15 de setembro – 17h30
Cine Arte – Belas Artes: 15 de setembro – 17h30
Cinépolis: 19 de setembro – 19h30
Cineflix: 21 de setembro – 19h30
Cine Roxy: 15 de setembro – 20h

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.