Legends of Tomorrow | 2×09 – Raiders of the Lost Art

É engraçado como Legends of Tomorrow consegue nos deixar com sentimentos bem controversos em um único episódio. Acho interessante o desenvolvimento da série em torno das viagens no tempo, a série conseguiu equilibrar isso muito bem, mas a necessidade de um vilão tão grandioso, no caso aqui vilões, a série acaba se perdendo, pois Damien já foi chato em Arrow e agora ele está sendo insuportável em Legends of Tomorrow, assim como a “grandiosidade” de Eobard.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A grande questão da busca da Legião do Mal, que logo Nate explica ter tirado a ideia de um desenho da Hanna-Barbera, foi explicado com a lasca da lança que sangrou Cristo. A ideia é que ela é importante para redesenhar a história… Diferente da viagem ao tempo em que você refaz e muda e cria aberrações no tempo, com a lança é possível reescrever, criar uma história do zero.

Com isso em mente vemos que foi exatamente isso que Rip Hunter fez consigo mesmo e redesenhou a própria história voltando nos anos 60s e fazendo cinema, entrando assim em contato com George Lucas. A utilização de Lucas na trama foi genial, pois soube explorar o que ele realmente fez em seus filmes e a motivação de personagens. O momento em que ele desiste de ser cineasta faz Ray não ver Star Wars e assim não se tornar um cientista, e Nate nunca ter visto Caçadores da Arca Perdida, assim ele nunca se tornou historiador. Aos poucos a história foi redesenhada, criando aberrações, mas logo voltou ao normal.

Legends of Tomorrow

Sara se culpa por todos os problemas que ela não consegue resolver, e contra Malcolm e Damien ela acaba perdendo mais uma vez e dessa vez eles conseguem levar Rip, sem saber que o mesmo redesenhou sua história, não tendo memória de nada o que fez… Não sei como será explorado isso, mas vem muita tortura contra Rip.

Longe de tudo isso, Martin e Mick focaram na mente, pois o ex-ladrão está conversando demais com Snart e isso lhe causa problemas. Assim Martin descobre um aparelho no cérebro dele e resolve extraí-lo, mas só para descobrir que o mesmo não está ativo. No fim o que Mick precisa é conversar e relaxar, deixar sua mente esvaziar um pouco e trabalhar seus sentimentos…

Legends of Tomorrow precisa rever essa necessidade dos vilões grandiosos, mas está realmente chateando ver a série rodar em torno da Legião do Mal com os vilões sendo ainda mais enjoados do que eles eram em suas respectivas séries.

Fico por aqui, comentem e to be continued