Legends of Tomorrow | 2×08 – The Chicago Way

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Está difícil seguir com Legends of Tomorrow… Gosto dos personagens, mas novamente estão pecando com a grandiosidade da tama e a força dos vilões, deixando novamente os acertos para os momentos finais. Acredito que mais uma vez as nossas Lendas irão salvar o espaço-tempo no último instante.

Eobard, Malcolm e Damien estão dispostos a pegar a Lança do Destino, a mesma que perfurou os olhos de Cristo e os amuletos que os Legends possuíam na verdade é uma bússola do tempo que pode indicar o paradeiro da mesma. Agora tal objeto está com os vilões…

A forma como Sara acaba entregando as peças para salvar Martin deixa claro que ela é uma capitã interessante e cheia de nuances, que aceita alguns pontos quando se chega ao extremo. Ela discute com Martin sobre a “criação” de Lily, reclama dela nunca poder mudar e salvar a irmã, mas no fim concorda com o amor dele.

Amaya e Mick estão incríveis nessa conexão entre eles, enquanto Mick começa a se lembrar de Snart e isso trará consequências para eles quando o mesmo retornar. Nate e Ray buscam encontrar o próprio espírito de heroísmos e ambos mostram como suas áreas são importantes, um com a inteligência tecnológica e o outro com a histórica.

A ida até os anos de 1920, bem na época da Lei Seca não trouxe grandes méritos, apenas os forçaram a viajar ao passado. Nem mesmo a presença de Al Capone teve tanta força, apenas serviu para mostrar como os federais eram corruptos e demoraram anos para botarem as mãos nele.

Esperando que Legends of Tomorrow tenha momentos mais intensos e tramas mais envolventes, pois como vimos no crossover, seus personagens são envolventes quando bem explorados.

Fico por aqui, comentem e to be continued