Here and Now | Primeiras Impressões

A nova aposta ousada da HBO chega pelas mãos do criador de Six Feet Under e True Blood, Alan Ball  e além de ter o selo HBO, a produção tem os atores Tim Robbins e Holly Hunter nos papeis principais. E o drama não poderia ter um canal melhor para estrear afinal, Here And Now, une um bom roteiro que pode se dar ao luxo de colocar o dedo em algumas feridas sem medo.

Foto: HBO

Em resumo, Here and Now é claramente uma típica série de Ball feita como uma luva para a HBO. Se passando numa era-Trump, a produção vem com uma carga dramática forte para mostrar detalhes e situações do cotidiano e do dia-a-dia da família Bayer e claro o roteiro de Alan Ball consegue pegar tudo isso amplificar de uma forma única e diferente.

Assim, o seriado é um drama familiar que gira em torno do casal Greg (Robbins) e Audrey (Hunter) e seus quatro filhos, dos quais três foram adotados, no melhor estilo Angelina Jolie, em países diferentes como Libéria, Vietnã e Colômbia. E ao assistirmos o episódio piloto vemos que essa família considerada “perfeita” e “mente aberta”, convive com profundos conflitos, muita mágoa entre si e claro muito ressentimento.

O grande destaque fica para a atriz Holly Hunter que claramente está em seu melhor momento e faz uma atuação precisa, cativante e que prende a atenção do começo ao fim. Já Robbins faz Greg, um pai com 60 anos, professor de filosofia bastante recluso e que ao longo do primeiro episódio nos faz acompanhar seu personagem demostrar a perda de interesse pelo mundo em que vive e isso reflete na sua relação já tensa com a mulher e também com os filhos.

A principio a série toda pode parecer com um grande clichê mas o cast diversificado ajuda a contar uma história moderadamente interessante mesmo que não original já que os filhos são apresentados de maneira gradual ao longo do episódio. O elenco jovem é formado por atores basicamente em início de carreira, os destaques ficam com Daniel Zovatto que faz Ramon um personagem envolvente e que carrega uma boa carga dramática durante o piloto e nos apresenta com alguns problemas que esperamos que os roteiros desenrolem e se aprofundem ao longo dos episódios.

A ótima Jerrika Hinton, vem do seriado médico Grey’s Anatomy e aqui tem um novo desafio numa nova abordagem, sua personagem Ashley é super complexa, ela é mãe de uma garotinha, trabalha com moda e guarda segredos da família e do marido e tenta ao máximo fugir do estereotipo de black angry woman. Fica claro nesse primeiro episódio que a personagem terá um grande arco envolvendo raça e o papel da mulher na sociedade. 

Mesmo não tão desenvolvidos como os outros dois irmãos, a dupla formada pelos atores, Raymond Lee (super expressivo) como Duc, um coach/terapeuta e Sosie Bacon (uma grata surpresa) como Kristen a única filha biológica do casal e a mais nova da família tem suas tramas próprias que mesmo não tendo o destaque da narrativa completam bem essa grande família americana numa sociedade cada vez mais diversa e que abraça novas culturas, ou pelo menos tenta. Talvez o maior acerto do piloto é apresentar personagens complexos e multifacetados com aquele toque de humanidade onde sempre temos uma camada a mais para descobrir e isso deixa o seriado com um charme próprio.

Foto: HBO

Claro, Here And Now, não tem o mesmo impacto emocional de This Is Us, ou a sagacidade nos diálogos como Gilmore Girls, mas consegue ter momentos dramáticos com uma dose de excentricidade que acabam por chamar atenção e a produção cativa ao deixar quem assiste com aquele gostinho de quero mais. A série acaba sendo um Brothers & Sisters numa embalagem mais refinada mas que acaba seguindo os mesmos moldes, afinal o seriado não tem um objetivo para ser alcançado e sim apenas deve focar mostrar ao longo de seus episódios situações do cotidiano e como esses personagens reagem a vida, como em Girls

Fica claro que os membros da família tem seus problemas, dúvidas e pelo menos no primeiro episódio eles chegam até a serem personagem irritáveis, afinal não existe, pelo menos na superfície um problema aparente mas claro que vemos as rachaduras aparecendo aqui e ali, e isso tudo se deve graças ao bom roteiro que acaba trabalhando bem em apresentar certas situações.

Os personagens de Here and Now podem definidos como uma panela de pressão pronta para explodir. Ao assistir o episódio piloto ficamos com a sensação de que os Bayer são aqueles vizinhos que sempre tentam deixar o gramado perfeito, ou aqueles parentes não tão próximos que sempre só falam das coisas boas. Para alguns o nível de conexão com a série não será de imediato, ou até demore para chegar mas no final a curiosidade em acompanhar os casos e acasos desse família deve (pelo menos) me levar para os próximos episódios. Esperamos que essa sensação continue nos próximos 9 episódios restantes.

Composta por 10 episódios para sua primeira temporada, Here and Now estreia com o episódio Eleven Eleven na HBO em 11 Fevereiro às 00h.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales