Hanna | Primeiras Impressões

Hanna é a próxima produção da Prime Video que vem sendo divulgada com pompa pelo serviço de streaming. Não é por menos, o seriado tem o retorno dos atores Joel Kinnaman e Mireille Enos da queridinha The Killing, ganhou teaser no Super Bowl 2019 e teve seu piloto liberado logo após o jogo, numa estratégia mesmo que não nova, mas ousada.

Mas, mesmo como tudo isso e Hanna faz um piloto somente bom?

Hanna – Primeiras Impressões | Foto: Prime Video

Baseado no filme de mesmo nome, lançado em 2011, o primeiro episódio é longo e um pouco arrastado, mas serve, como um bom episódio inicial, para ambientar o espectador que não está familiarizado com a trama do longa, (assim como esse que escreve) entender mais sobre a história.

Os primeiros minutos de Hanna, tem um tom super misterioso, intrigante e cheio de suspense, onde vemos, um cara (Kinnaman, sempre no mesmo ritmo com aquele olhar intenso e com cara de louco) roubar um bebê de uma instituição no meio de uma noite fria e congelante.

A caçada é alucinante, e um junto com uma moça, o personagem precisa desviar da força policial comandada por uma agente (Enos, numa peruca horrível) local. Ao tentarem se esconder em uma floresta, Erik (Kinnaman) vê sua parceira ser morta, e acaba por ficar sozinho com um bebê no meio da neve.

Assim, passado o início super rápido, Hanna, segue por bons minutos com pé desacelerado do freio, ao mostrar a vida e o cotidiano dos protagonistas, que passam a viver num caverna no meio do nada, caçam animais, treinam idiomas diversos e vivem como completos ermitões.

Nada que não já tenhamos visto, em milhares de outras produções, ou o que esperar de uma situação do gênero. É como se os roteiristas, ficassem com preguiça de avançar logo na história, afinal, temos outros 7 episódios para desenrolar a trama, não é mesmo? Um dos lados ruins do formato de maratona.

Claro, vemos Hanna (Esme Creed-Miles, bem expressiva), já crescida querer conhecer o mundo, como Tarzan, ou qualquer outro personagem que já passou pela tela do cinema, da TV, ou da literatura e passou boa parte da infância isolado. O contato da garota com um rapaz, na remota área perto da floresta, tem passagens interessantes, mesmo que nos deixe com vontade de olhar o relógio, a todo momento.

Hanna, parece que será uma produção de suspense bem interessante, mas, pelo menos, nesse começo, não mostrou muito para que veio. A produção chega a ganhar ritmo novamente, quando a trama foca na agente Marissa (Enos), e no mistério sobre a importância de Hanna para o governo que a oficial trabalha.

No final, os mistérios deixados em 1×01 – Florest, nos fazem quer saber mais sobre os detalhes da história, onde Hanna, faz um piloto que toca superficialmente nas questões que a série parece quer apresentar, e apenas nos entrega, a pont(inha) de iceberg. Esperamos não bater nele e afundar ao decorrer da temporada, afinal, Hanna, tem potencial para ser uma série e tanto.

O primeiro episódio de Hanna, está disponível, durante essa semana exclusivamente no Prime Video, a série chega em Março.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales