Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim | Crítica

A sequência de Gnomeu e Julieta é divertida e tem seus momentos engraçadinhos mesmo que se apoie numa trama extensa e confusa para o público alvo: as crianças.

Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim (Sherlock Gnomes, 2018) pega como referência a história do detetive Sherlock Holmes e seu parceiro Watson ambos do escritor inglês Sir Arthur Conan Doyle para colocar os dois personagens dentro de uma trama com bonecos de jardim comandado pela dupla de anões de jardim Gnomeu e Julieta que acabam saindo do jardim e explorando o mundo e claro o relacionamento deles.

Foto: Paramount Pictures

Com um tom cômico que permeia a animação o tempo todo somos apresentados para um verdadeiro filme de mistério onde o público deve desvendar o caso do sequestrado dos objetos de jardim comandado pelo detetive Sherlock Gnomes e seu parceiro.

No final as referências para a obra literária só devem fazer efeito para os adultos que levam os filhos para ver o desenho. É o caso do cachorro visto no livro O Cão dos Baskervilles e claro no principal vilão Moriarty que aqui tem sua versão em forma de mascote ligado no 220v.

Em Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim a parte mais  interessante é acompanhar a resolução das pistas deixadas pelo vilão e vemos uma Julieta destemida, inteligente e que passa um recado interessante para as meninas: seja você mesma e cuide de quem você gosta. O filme aborda temas como amizade, solidariedade e claro a preocupação com o próximo de uma forma leva e bastante simples.

Foto: Paramount Pictures

Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim tem também tudo que uma boa animação precisa ter, personagens secundários cativantes, como as gárgulas do mal, o sapo cantor e o anão de jardim sentado no vaso e claro sequências musicais, comandado pela boneca Irene, voz no original de Mary J. Blige e uma história cativante mesmo que cheia de reviravoltas e viradas no roteiro que pode deixar os menores um pouco confusos. 

O filme se destaca pelos detalhes de sua animação que vão desde da criação dos bonequinhos do jardim, onde a pele de porcelana e as roupas são muito feitas, até mesmo com a reconstrução da cidade de Londres, vista pela perspectiva dos bonecas, onde eles visitam locais turísticos como a Ponte de Londres e alguns Museus para decifrarem as pistas deixadas pelo vilão.

Em Gnomeu e Julieta 2, temos uma animação tradicional simpática, com piadas pontuais e uma trilha sonora bem alegre (o cantor Elton John é um dos produtores executivo do filme) e se encaixam na proposta do filme mesmo que possa ficar carregada em alguns momentos.

Nota do Crítico:

Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim já em cartaz nos cinemas

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales