Game of Thrones | 7×02 – Stormborn

Cheio de grandes laços e reviravoltas, Stormborn é o 9º episódio de Bryan Cogman em Game of Thrones e este episódio se mostrou dinâmico e intenso, mesmo com momentos de respiração como alguns de Arya e Sam. No mais tudo é realmente um jogo de poder entre Daenerys e Cersei, com Jon sendo ponto chave, mas muito mais preocupado com o Norte e os Outros.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Os momentos de Daenerys em Dragonstone são ótimos. Primeiro ela coloca Lorde Varys em seu lugar, deixando claro que os dois tem um laço e se ele quebrar ela o queimará, da mesma forma, temos Melissandre se juntando a eles com a profecia e acreditando que ela e Jon Snow são pontos importantes.

Sempre é bacana as conversas envolvendo os antepassados Targaryen e principalmente o Rei Louco, o que me faz querer saber se sua loucura tem a ver com Bran (mas isso é uma teoria minha…). Se Daenerys é forte com Varys, com Olenna e Ellaria ela tenta se manter mais no controle, deixando um pouco de Tyrion para conversar. O plano de Tyrion e Daenerys é ótimo: o povo dos reinos interrompem todo o suprimento de Porto Real, enquanto Verme Cinzento com os Imaculados vão até Rochedo para derrubar todos os Lannisters…

Dois momentos a sós são interessantes. O de Daenerys com Olenna, que a alerta para ser um dragão e não uma ovelha, enquanto Missandei descobre ser a fraqueza de Verme Cinzenta e os dois tem uma noite de amor de despedida, antes dele ir para Rochedo.

Já em Porto Real vemos Cersei colocar todos que podem contra a parede, e James acaba tendo papel fundamental para pedir até a um Lorde Tarly e Dickon para que fiquem ao lado da rainha, mas Daenerys ter um dragão pesa muito, principalmente para os Tarly, que ainda tem a traição dela matando Margaery na explosão…

E a Mão do Rei, na figura do pardal acaba mostrando a Cersei uma possível solução para matar os dragões de Daenerys, deixando claro que o Dragão Negro de seu pai foi possível ser morto.

Na Cidadela vemos Sam conversando muito com seu Arquemeistre, mas principalmente buscando uma cura para Jorah Mormont. A cena dele arrancando as escamagris para passar uma pasta medicinal foi bem intensa e pode mostrar um desenvolvimento interessante para Jorah, que pode voltar a seu posto ao lado de Daenerys. Além disso, mostra uma relação de carinho de Sam para a lembrança de Jor Mormont, que ele conheceu na Muralha.

A caminho de Porto Real temos Arya que acaba encontrando com Torta Quente, e depois de comer e uma cerveja, acaba descobrindo que Jon recuperou o norte e ela resolve partir para lá, mas não sem antes ser ignorada por Nymeria na floresta. O abandono de Nymeria, sua loba gigante, pode mostrar como ela se perdeu no caminho de sua vingança.

Já no Norte temos Jon descobrindo o retorno de Daenerys e o pedido de Tyrion para ele ir se apresentar a rainha e levar assim a confiança do norte, mas ele acaba aceitando depois de receber o corvo de Sam sobre a mina de Vidro de Dragão em Dragonstone. Excelente ele colocando Mindinho em seu lugar, e deixando claro que o mata se ele tocar em Sansa, mas o mais bacana foi ele deixando Sansa a cargo do norte, o que pode gerar ainda mais desejo em Mindinho…

E nada como terminar um episódio tão incrível com uma batalha que leva a morte de Obara e Nymeria, enquanto Ellaria e Tyene são sequestradas com Yara… Euron conseguiu tirar duas peças importantes de Daenerys, mas o pior foi ver a atitude de puro medo de Theon. Apensar de que diante do tio com uma faca no pescoço de Yara ele não poderia fazer muita coisa.

A cada movimento das peças de Game of Thrones é impossível não ficar agitado. A impressão que acabamos tendo é que sem os livros de George RR Martin como apoio, os roteiristas estão com as peças mais fortes no tabuleiro, trabalhando melhor para o desenvolvimento dos personagens, mas sem esquecer de todo o panorama criado pelo autor.