Fullmetal Alchemist #11 | Resenha

A cada volume Fullmetal Alchemist consegue se sobressair cada vez mais, nos entretendo e nos fazendo ficar ansiosos pela história dos irmãos Elric, e neste volume ainda vem o diferencial de conseguirem expandir mais sua trama, seja do exército, seja da alquimia, ou seja a do passado de Ed e Al e a relação deles com o pai Van.

As histórias contadas aqui são importantes e fortes, como o fato do retorno de Van ser apenas um aviso de que algo pior acontecerá e o carinho que ele tem por Pinako o faz voltar por ela, sua neta e seus filhos. O encontro dele com Ed é hilário, pois podemos ver Ed realmente como um garoto, emburrado e cheio de mágoas com o ai ausente, mas que quer ter o carinho dele.

Logo em seguida temos a expansão de seu passado, com ele explicando para o irmão, que o que mataram não era a mãe deles, mas algo que criaram. Com ajuda de Izumi eles ligam os pontos e traçam a relação alma, mente e corpo, mostrando que o corpo de Al pode estar em algum lugar e que precisam retornar para descobrir onde.

De tudo isso eles conseguem evoluir, crescer e seguir em frente para tomarem inúmeras outras decisões importantes.

A evolução da trama da “morte” de Maria Ross e como Mustang começa a lidar com as consequências ao seu redor é bem engraçada. O mais bacana é ele mostrar como se preocupa com os seus amigos, e nessa sequência ele descobre sobre o sumiço do Doutor Marcus, o mesmo que poderia ajudar Havoc e seu problema na espinha.

Com tudo resolvido, a trama volta a se conectar com direito a ideia de capturarem um Homúnculo ao criarem uma distração usando Scar, e assim temos os irmãos Elric, Lin, Lan Fan e Mustang e seus homens encurralando ele e assim vemos Gula aparecer e ser encurralado por Lin e Lan, mas o mesmo acaba machucado por Bradley, que protege seu irmão Gula.

São tantos acontecimentos, tantos detalhes que acabamos deixando passar coisas, como a difícil decisão de Ed e Al em esconder de Winry que Scar matou seus pais, ou a aparição de May Chang e o fato dela ser da tribo que faz as tatuagens que Scar tem em seus braços, ou como os federais mataram o irmão dele.

Só sei que é impossível não sair querendo a próxima edição de Fullmetal Alchemist devido ao trabalho de evolução da trama de Hiromu Arakawa

FICHA TÉCNICA

Título: Fullmetal Alchemist #11
Autor: Hiromu Arakawa
Editora: JBC
Ano: 2017
Gênero: Ação, Aventura
ISBN: 978-85-457-0296-2