FEUD: Bette and Joan | 1×02 The Other Woman

O segundo episódio de FEUD: Bette and Joan não deixa nada a desejar ao seu primeiro. Pelo contrário expande a história da rixa entre as protagonistas, foca em apresentar seus personagens secundários e ainda faz uma bela homenagem ao filme O Que Terá Acontecido a Baby Jane? ao mostrar rápidas cenas do longa de 1962 com as atrizes da série de 2017.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Claro que o episódio em si serve para mostrar um pouco mais sobre como funcionava (e funciona?) Hollywood. A colega de elenco mais jovem chega para Joan Crawford com um caderno na mão perguntando se ela poderia dar um autógrafo para sua avó afinal “ela é fã da senhora desde que era criança”. Se um olhar pudesse matar não é mesmo?

Assim começamos o episódio com aquilo que o Jack Warner mais temia: que Bette e Joan fosse amigas. Durante todo o episódio vemos como as intrigas e desavenças foram alimentadas no set de filmagem não só pelas duas mas pela produção e pelo próprio diretor Robert Aldrich. 

Foto: Reprodução/FX

Olivia de Havilland e Joan Blondell entraram também em cena para contar um pouco sobre as rixas entre as colegas que já não eram de agora e sim de muito tempo. Essa parte do episódio foi muito bacana pois fizeram um grande resumo mostrando o passado de Bette e Joan e muitos filmes que as atrizes atuaram. Como vocês puderem ver em nossa timeline de eventos a rivalidade das duas se acentuou muito antes que ambas começaram a trabalhar na Warner Bros.

Nos anos 40, as atrizes estavam trabalhando em estúdios diferentes até Joan ir para o Estúdio Warner Bros que estava produzindo o longa Mildred Pierce. Assim elas ficaram na disputa pelo papel principal da produção. Crawford aceitou ser a atriz principal do filme depois que Davis passou o projeto para frente. Em 1945, Crawford ganhou o Oscar de Melhor Atriz pelo filme, deixando Davis com raiva por ter recusado o papel.

Boatos na época que Jack só contratou Joan para causar ciúmes em Bette que já estava dando dor de cabeça para o estúdio sendo um talento muito caro para eles e com muitos ataques de estrelismo. Quem ganhou com isso claro foi a Warner afinal os filmes foram indicados ao Oscar e levaram bastante público pagante para os cinemas. Assim de volta 1960 e na produção de Baby Jane, Jack Warner vê novamente uma oportunidade em deixar o set em clima de tensão para claro alimentar a rixa entre elas e deixar as atuações mais realistas possíveis. Uma das cenas clássicas do filme é reproduzida, no original podemos ver a ira de Bette Davis ao reclamar que a irmã está em um cadeira de rodas “Mas você está numa cadeira de rodas, Blanchet, você está”. A cena é uma das mais memoráveis do filme e Susan Sarandon e Jessica Lange estão iguais e claro atuando de maneira novamente formidável.

Então acompanhamos uma sequência de bate e volta entre as atrizes tentando usar o diretor como vantagem uma para outra. A jornalista Hedda Hopper (com seus chapéus horrorosos que eram sua marca na cidade) também entra na jogo usando a imprensa que claro alimentou os boatos sobre a produção do filme em notinhas nos jornais.

Assim nesse episódio de FEUD: Bette and Joan acompanhamos um pouco como funcionava a dinâmica entre as mulheres no competitivo mundo de Hollywood dominado pelos homens, conhecemos os outros novos personagens que devem dar as caras pela série como por exemplo a mulher do diretor que já está cansada das traições do marido, B.D a filha de Bette que quer sair das garras da mãe e tenta atingir ela da pior maneira possível e claro o ator que irá fazer o personagem Victor Buono no filme. Papel que deu a indicação ao Oscar para o ator Edwin Flagg na época. E ainda por cima tivemos a fantástica cena de Susan Sarandon cantando “I’ve Written a Letter to Daddy”.