Em sua 4ª edição Cine Birita exibe curta sobre a ditadura

A 4º edição do Cine Birita – que acontece no dia 24 de outubro no Café dos Bancários, centro de São Paulo – traz cinco curtas-metragens em sua programação. Dentre eles está Aquele 31 de Março, dirigido por Daniel Mata Roque. O diretor convidou 20 pessoas que viveram o período do Regime Militar e dar seus relatos sobre o período, apresentando óticas bastante diversas sobre este momento histórico.

Acho que todo estudo histórico parte da famosa premissa de que quem não conhece seu passado está condenado a repeti-lo. Daí a importância de conhecer a história do Brasil: para conhecer, viver e evoluir o próprio Brasil. Só assim, conhecendo nosso passado recente, será possível viver bem o presente e ajudar a construir um futuro produtivo e libertador”, afirmou o diretor.

Nesta edição, além do curta Aquele 31 de Março, também serão exibidos:

Tendência

Lucio é um pai de família que vive em segredo uma crise consigo mesmo relacionada à sua sexualidade. Vivendo anos de agonia, decide então assumir para sua família e seus amigos sua verdadeira condição sexual. – Direção de Jonathan Costa.

A Alma Ainda Fica

Retirante vindo de longe à procura de água e abrigo encontra casa intacta, mas aparentemente abandonada. Nela, encontra um baú de lembranças que desperta nele interesse para descobrir a história do local. Com a chegada do vizinho, uma série de situações anormais começa a acontecer, e o jovem sente dificuldades para distinguir o que é real e o que é fruto de seu medo. – Direção de Bruna Guido.

Alice

O que acontece com Alice quando seu subconsciente passa a dominá-la? Esse filme é baseado na hipótese de que Lewis Carroll, autor de Alice no País das Maravilhas, criava suas histórias para atrair meninas para serem fotografas seminuas pelo autor. E se a menina Alice, agora adulta, percebesse que foi vítima de um abuso em sua infância? E quantas Alices existem na cidade de São Paulo? Para o filme foram usados elementos presentes na obra Alice no País das Maravilhas como o tempo como personagem e os animais como elementos do subconsciente humano. – Direção de Adriana Gaeta Braga.

O Canto

Lia, uma professora de 36 anos, vive uma rotina entediante até se ver totalmente confusa e obcecada por uma casa. Até que ponto se consegue ir atrás de respostas? – Direção de Elisa Aleva.

O Cine Birita é uma mostra de curtas-metragens independentes, com sessões realizadas em bares.

SERVIÇO

Cine Birita
Onde: Café dos Bancários | Rua São Bento, 413 – Centro – São Paulo/SP
Quando: 26 de setembro
Horário: A partir das 17h, exibição dos filmes pontualmente às 19h30
Evento: https://www.facebook.com/events/319362422189166/

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.