DuckTales | 1×06 – The House of the Lucky Gander!

E em mais um trabalho incrível que a Disney faz com este reboot de DuckTales mais um personagem de Carl Barks dá as caras. Fazendo um excelente contraponto com Pato Donald, Gastão é apresentado de forma rápida, mostrando todas as suas características e ainda atualizando visual e alguns conceitos, além de colocá-lo mais próximo dos sobrinhos de Donald.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A animação de Donald indo encontrar o primo é contagiante, mas o melhor é a empolgação de Huguinho, Zezinho e Luizinho diante de novas aventuras. Em Macal eles acabam entrando no templo da sorte de Toad Liu Hai, enquanto Tio Patinhas só quer ir ver o Grilo de Ouro em seu templo, só que então temos Gastão mostrando que mesmo sortudo, ele acaba conseguindo um infortúnio.

A separação entre os personagens é bem bacana, principalmente deixando Luizinho doido para deixar tudo e ficar com o tio Gastão. O problema é que aos poucos ele vai vendo que mesmo sem sorte, Donald realmente ama os sobrinhos, enquanto Gastão é apenas um bon vivant cheio de sorte.

Patrícia ao lado de Huguinho e Zezinho é cheia de aventura, ao mesmo tempo que To Patinhas mostra-se louco para sair do templo de Toad e ir ver o tal grilo. É nesse momento que descobrimos que Toad é um “ser” que se alimenta da boa sorte das pessoas que entram em seu templo e Gastão está preso nele, precisando de Donald e seus parentes para liberá-lo.

Simplesmente genial a saída para tirar Gastão e como o azar de Donald acaba “secando” Toad, que vê seu templo ruir…

DuckTales sempre nos diverte e mostra as aventuras desses personagens de forma envolvente e mesmo modernizando os conceitos e seus personagens, mantém o mesmo encanto da versão original dos anos 80. Aqui Capitão Boeing está cheio de mistério e indo além do piloto e confidente.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.