DC’s Legends of Tomorrow | 4×02 – Witch Hunt

Nada como uma Fada Madrinha disposta a realizar seus maiores desejos de ódio… DC’s Legends of Tomorrow subverte a história da doce senhora que sempre quer o bem de suas afilhadas, mas depois de várias vezes ser jogada de lado, ela resolve passar a se vingar, realizar desejos mais importantes do que sapatinhos de cristal.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Voltando a 1692, a série nos leva a Salem, mas dessa trama, única coisa interessante é ver Zara perder a mão e querer salvar Hawthorne a qualquer custo, aprendendo sobre o bem coletivo e sobre respeitar as escolhas alheias. A motivação de Zara é que ela não quer ver uma filha sem a mãe, assim como ela mesma sofreu. No fim a história foi modificada, mas ocultada de alguma forma para não mexer na linha do tempo.

Constantine, amedrontado por uma ameaça sem nome, acaba entrando para o grupo das Lendas, mas o melhor é ele tentando ser o novo “vaso” da Fada Madrinha para ter mais uma linha de proteção, mas ela acaba preferindo ir para o inferno enviada por ele, do que enfrentar o seu inimigo. Ainda não temos o seu nome, mas estou gostando da trama.

Nate e Hank, gostei do drama paterno e agora eles sabem que um trabalha com o outro, mesmo que indiretamente. Hank sentiu orgulho do filho ao ver que ele está fazendo a diferença, e acaba cedendo o dinheiro para Ava manter a agência. A decisão de manter Nate na agência é sem graça, mas dá para entender mais como uma limitação de verba por conta do seu poder e da forma como é preciso trabalhá-lo. Mas vamos ver como a trama irá absolver isso.

Senti falta de mais momento de Sara, ri demais com Mick lidando com Constantine e como os dois irão ficar pegando no pé um do outro, e Ray só apareceu para criar um novo dispositivo para caçar distúrbios mágicos e tentar dar um nome para os Fugitivos.

DC’s Legends of Tomorrow continua divertida e sem noção, e isso é delicioso de ver, pois não há compromisso e toda a trama só mostra as fraquezas e ressalta as forças de cada um.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.