Crunchyroll anuncia dublagem em português brasileiro de Black Clover

A Crunchyroll, plataforma líder mundial de animes, anuncia que está dublando novos títulos em português brasileiro, incluindo a aclamada série Black Clover, do Studio Pierrot e da TV Tokyo. A dublagem da série será disponibilizada na plataforma ainda este ano, e ficará a cargo do estúdio Som de Vera Cruz, responsáveis pelas dublagens de Trigun, Gungrave e Avatar: A Lenda de Korra.

Fãs de Black Clover poderão conferir em primeira mão a dublagem brasileira durante o AnimeFriends, evento realizado em São Paulo nos dias 6 a 9 de julho, no Pavilhão do Anhembi. O primeiro episódio dublado de Black Clover será exibido na palestra de dublagens da Crunchyroll no dia 6 de julho, às 15:00. A palestra também contará com a presença dos diretores de dublagem Renan Vidal e Leonardo Santhos, que contarão um pouco da experiência de trabalhar na dublagem destas e outras séries da Crunchyroll.

Sinopse

Num mundo onde todos possuem poderes mágicos, dois órfãos são abandonados juntos em uma igreja. Yuno, dotado de poderes mágicos excepcionais; e Asta, o único indivíduo do mundo inteiro sem esse dom. Aos quinze anos, ambos recebem Grimórios – livros mágicos que amplificam os poderes do detentor. Asta recebe um raro Grimório de anti-magia, capaz de negar e repelir os feitiços do oponente. Dois opostos que nutrem uma rivalidade amigável, Yuno e Asta estão prontos para encarar os mais difíceis desafios para conquistar seu sonho em comum: tornar-se o Rei dos Feiticeiros.

Black Clover é escrito e desenhado por Yuki Tabata, e é publicado semanalmente na revista Shonen Jump, da Shueisha. A série de TV, produzida pelo Studio Pierrot e pela TV Tokyo, estreou em 3 de outubro de 2017 e continua a ser exibida semanalmente no Japão. No Brasil, o mangá foi licenciado pela Editora Panini, com lançamento previsto para julho, e o anime é transmitido exclusivamente pela Crunchyroll.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.