Conviction | 1×07 – A Simple Man

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A cada episódio fico mais empolgado com Conviction! Elenco e roteiro batem tão bem, mas infelizmente a série não deve ter um novo ano, mas espero que continue tão empolgado com os próximos episódios. A trama envolvendo um homem com problemas de desenvolvimento intelectual, com um QI de 72, e a morte de alguém após um trágico acidente envolvendo fogo.

Trazer ainda Paul, que quer fazer um documentário sobre a história do rapaz e sua condenação, foi sensacional. Hayes mostrou que pode ser um amor de pessoa, mas também pode ser seu maior pesadelo. Paul foi fundo no espírito de Hayes e compreendeu seu lado mais retraído por conta da forma como ela foi criada na frente das telas, e com isso ainda fez um ótimo serviço para Wallace, mostrando a admiração dele por ela.

Agora, Paul também fez Tess expor mais seus sentimentos e foi ótimo, assim como com Frankie, e o espaço que isso os expôs foi bom, mostrou mais a profundidade dos sentimentos e complexidades deles. Disso ainda colocaram pimenta na relação de Maxine e Sam… Vendo que Hayes estava complicando para ele, Paul fez Sam falar demais sobre Maxine e a forma como ela agiu para cima do homem que se matou no episódio passado, e isso desencadeou problemas pra eles, e Maxine voltou ao vício.

No fim, o caso de Leo é que Rita queria dar fim no restaurante, pois consumia demais seu marido, irmão de Leo. E amei ver Hayes tão justa e protegendo o homem. Os desvios do caso foram bons, as motivações dor irmãos e até do homem viciado em salvar as pessoas, deu um bom tom.

Conviction é instigante, os casos são simples, mas não ruins, e o elenco nos cativa. Hayley Atwell sempre dá o seu melhor e nos cativa, e tenho gostado de Shawn Ashmore e quero mais conflitos entre ele e Merrin Dungey.

Fico por aqui, comentem e to be continued