Como É Cruel Viver Assim | Crítica

O maior mérito do nacional Como É Cruel Viver Assim (2018) talvez seja em conseguir mostrar uma realidade presente na vida de alguns brasileiros de uma forma bem transportada para o cinema!

A acertada caracterização dos atores em seus personagens apenas deixa claro que uma grande parcela da população está aí na luta, onde enfrenta sub-trabalhos, se vira nos 30 (como é dito popularmente) para pagar as contas e sabe que no final do mês pode não sobrar um para uma cervejinha com os amigos.

Foto: Morena Filmes

Como É Cruel Viver Assim, tenta fazer uma mistura de crítica social com humor e até tenta também ter uma história que empolga sobre um grupo de amigos que vai sequestrar um cara no meio estilo de um filme feito pelos irmãos Cohen mas a simplicidade do roteiro deixa a produção parecer precária e não me resolvida.

Do quarteto principal todos ali estão até que bem, Marcelo Valle como Vladimir até que dá conta do recado como protagonista e conseguimos ver e compriender tudo que passa na cabeça de seu personagem (que a princípio parece ser uma ser uma boa pessoa) ao avaliar a proposta que a esposa Clívia (a quase onipresente no cinema nacional Fabiula Nascimento) tem para ele.

Na trama, a personagem acaba por embarcar na idéia maluca da amiga Regina (Debora Lamm, hilária) de assaltar a casa de um ex-patrão, sequestrar o cara e pedir resgate. Quando Primo (Silvio Guindane, muito bem escalado) também entra no esquema as coisas apenas parecem que vão dar certo. Mas apenas parecem mesmo.

Foto: Morena Filmes

Como É Cruel Viver Assim tem uma fotografia escura como se estivesse envelhecida e como se falasse com espectador para ele se sentir desconfortável juntamente com os personagens. A história segue um caminho onde apresenta seus personagens, seus problemas, a solução que eles encontram para chegar no que deveria ser o climax (o assalto) e meio logo em seguida, o filme termina e morre na praia. A diretora Julia Rezende consegue uns planos visuais até bacanas mas Como é Cruel Viver Assim é apenas o filme do quase. Um quase assalto, uma quase boa história.

No final, talvez, Como É Cruel Viver Assim não seja sobre o sequestro em si, ou um filme realmente sobre um assalto e sim sobre as consequências que o evento tem sobre o grupo de amigos. As dinâmicas entre os personagens mudam a cada instante, onde vemos as personalidades daquelas pessoas sairem de suas conchas e mostrarem outras facetas ao longo do filme mas, talvez, isso não seja bastante para esse drama (ou seria comédia?) funcionar.

[yasr_overall_rating]

 chega nos cinemas em 16 de Agosto.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales