Com elogiada atuação de Glenn Close, A Esposa estreia em janeiro

Glenn Close está de volta em mais um papel de tirar o fôlego. Em A Esposa, de Björn Runge, que estreia dia 10 de janeiro. Ela vive Joan, uma mulher que abriu mão do seu talento e de suas ambições para apoiar o marido escritor Joe (Jonathan Pryce), com quem está casada há 40 anos. Quando viaja para Estocolmo para acompanhar o marido na cerimônia de entrega do Prêmio Nobel de Literatura, Joan passa a ser procurada por um jornalista (Christian Slater) ávido por escrever uma biografia não-autorizada do escritor. Joan se vê, então, prestes a encarar o maior sacrifício da vida e alguns segredos serão revelados.

Na trama, os dois são como opostos: enquanto Joe é ousado, Joan é tímida. Se Joe é casual, Joan faz a linha mais elegante. Joe é vaidoso, já Joan é super discreta. E, no meio profissional, o escritor adora a fama de grande escritor americano, enquanto Joan abriu mão da vida profissional e do seu talento em prol do marido e dos filhos: mantém a casa em perfeito funcionamento, uma ótima relação com os filhos já adultos e até os remédios do marido ela administra.

Aclamada pela crítica internacional, a atuação de Glenn Close já lhe rendeu prêmios, entre eles Icon Award na Palm Springs International Film Festival e Hollywood Film Award Actress of the Year. “Seis vezes indicada ao Oscar, Glenn Close está digna de nova indicação”, opinou o The New York Times. “Glenn Close está magnífica”, elogiou o The Film Stage. O filme também foi um dos destaques do Festival de Toronto.

Baseado no livro de Meg Wolitzer, o filme será distribuído pela Pandora Filmes e pela Alpha Filmes. Estão ainda no elenco os atores Jonathan Pryce, Christian Slater, Max Irons, Elizabeth McGovern e Annie Starke, que é filha de Glenn Close na vida real e aqui interpreta a personagem de sua mãe quando jovem.

A Esposa chega aos cinemas no dia 10 de janeiro de 2019.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.