Charmed | 1×08 – Bug A Boo

Charmed ainda está desenvolvendo o seu próprio universo e criando uma mitologia maior, mas pecando em trazer tantos problemas de uma só vez, enquanto no drama de suas personagens ainda não mostra a que veio, ou apresenta coisas sem sal…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A parte bruxa segue bem legal, pois além de termos Alastair a trás de uma forma de liberar o Harbinger da lata de tinta, agora temos um coven de bruxas que não respeitam as ordens e mandamentos dos Anciões, e para isso cria um racha entre as Encantadas, já que Mel começa a se questionar de tudo o que vem aprendendo.

A entrada de Jade e as Sarcanas, antigas bruxas Arcanas que querem liberar uma bruxa maior para evitar o apocalipse e tinham uma relação próxima a Marisol, mãe das Encantadas, acaba criando atrito entre Charity. O problema é que as Sarcanas escondem uma líder, Sophie, irmã de Charity que ela acredita estar morta.

Ao mesmo tempo, Mel segue sendo manipulada por Parker, que segue sendo manipulado por Alastair. Desse drama gostei de ver que Hunter, demônio meio-irmão de Parker, se preocupa com o garoto, que devido sua condição de meio-humano, meio-demônio, acaba criado problemas de saúde.

Os dramas particulares de relacionamento acabou colocando Macy e Mel na frente de um demônio inseto que começou a usufruir de um app de relacionamento para atrair as pessoas perfeitas para darem suas novas crias. A empresa seria um plano perfeito de trabalho para Mel, e uma chance de Macy tentar um novo relacionamento, só que Galvin agora está solteiro.

Charmed consegue ir evoluindo sua mitologia, falando de inferno, prisão de demônios, os coven distintos de bruxaria e o apocalipse que pode surgir com a liberdade de Harbinger, mas precisa rever muito da condução dessas tramas, que em seu 8º episódio ainda demora um pouquinho a engrenar.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.