Blindspot | 3×08 – City Folk Under Wraps

Blindspot soube encerrar sua primeira parte da temporada com um mistério interessante e ainda deixou as coisas ainda mais complicadas para Kurt e Jane. Achei que o final poderia ser chocante, mas não esperava as últimas palavras de Kurt…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Eis que conhecemos finalmente um dos cabeças por trás de Hirst e ele é Hank Crawford, ninguém menos que o pai de Blake, que está caidinha em Roman. Assim descobrimos mais do plano dele, mas ainda não temos um panorama maior, além do fato de que ele queria que Kurt derrubasse Hirst e colocou Kurt contra a parede.

A correria para tirar Hirst da jogada não colocou a verdade de Kurt em jogo, principalmente sobre Berlim. Mas Hirst conseguiu colocar Patterson como responsável pela morte de Stuart e aos poucos foi revelando todo o grupo de Kurt, deixando apenas Reade ao seu lado.

De posse do telefone de Hirst, o que levou Kurt e Jane a serem pegos, Patterson o decifrou, achou um áudio e Zapata conseguiu uma colega para transmiti-lo pelo sistema de som do prédio do FBI, revelando Hirst e o fato dela ter matado Stuart.

Os detalhes que ficam para o próximo ano é que intrigam. Paterson agora sabe dos sentimentos de Zapata por Reade, mas da história da agente o que mais intriga é o que ela e Sam escondem e como ela irá esconder a tatuagem de Jane que liga a CIA, pois ela tem segredos fortes. Patterson já está mais livre, assim como Rich.

Agora, com Roman ao lado de Hank e Kurt cansado de mentir para Jane, o que me deixou chocado é o segredo que ele guardou e como ele irá ser desdobrado a partir dos próximos episódios, afinal…

Eu matei sua filha! – Kurt.

Sério, como Blindspot termina sua mid-season assim? Cadê os próximos episódios? Martin Gero e sua equipe foram excelentes em redescobrir a série e trazê-la de volta para momentos mais simples, mas com impacto na vida de todos os personagens.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.