Blindspot | 2×04 – If Beth

As coisas para Jane seguem complicadas, mas o melhor de Blindspot neste início de temporada, tem sido o foco dado a Reade e a constante crescente de sua trama. Da mesma forma, Naz continua sua busca em estar próxima aos membros da FBI, mas segue com atitudes muito estranhas.

LAGO AURORA

Roman leva Jane/Remi até o Lago Aurora e conta um pouco da história do lugar a ela, mas ficamos boiando com o que isso tem a ver com o desenvolvimento do projeto Sandstorm, apenas entendemos que isso é o início das mudanças e que Shepherd está ligado a tudo isso. Jane chega a investigar sobre o local com um homem, mas não consegue tirar nada dali.

É só no final, com Shepherd a convocando, que entendemos a importância do lago para os irmãos. Shepherd conta como sua família morreu após anos usufruindo do lago sem saber que ele estava sendo contaminado, o câncer dela a fez perder os ovários e encontrar em Roman e Remi os filhos que não pode ter. Ver Jane perdida no meio dessa situação os deixam confusos e sem saber como seguir com os planos do Sandstorm.

Fato é que tudo isso é o início do plano de vingança e ter o governo limpo, sem os exageros que todos os departamentos e locais possuem. A limpeza é inevitável para voltarem a ter paz e encontrar o sonho novamente.

SHADOWCAT

A busca por Shadowcat, encontrado na tatuagem das costas das mãos de Jane, o que Patterson descobre com as Girls Who Code, foi delicioso de acompanhar. Levou até o hacker, mas a importância dele não foi somente na descoberta das simulações de invasão, mas também será forte para Zapata, que já conta ter um serviço para ele…

A busca pela dama assassina foi intensa, colocou todos em ação, mas foi Reade quem se mostrou mais, tanto que todos começam a se preocupar com seus rompantes de raiva. É com Dr. Borden que ele se abre sobre Freddy (expulso por Zapata da casa de Reade) e todas as atividades de Jones. Quero muito ver como adentraremos em suas memórias represadas.

E nos resta esperar o desenvolvimento das coisas, mas confesso que já estou gostando da ligação de Weller e Naz, e como eles estão evoluindo. Weller e Ali falando sobre o filho deles também traz outra visão para o personagem, que tende a crescer mais.

Blindspot consegue manter sua trama central bem articulada e desenvolvida, enquanto vai criando casos esporádicos que são interessantes, usam das tatuagens de Jane e ainda nos envolvem de alguma maneira.

Obs.: O título do episódio é um anagrama para “The FBI“.