Billions | 4×03 – Chickentown

Logo de início já temos Dollar Bill arrasando com um novo negócio para Bobby, mas é difícil saber o que mais queremos ver se é o drama dele com o Rei das Galinhas, ou o pai de Taylor e o relacionamento dos dois. Billions sabe explorar seus personagens de forma brilhantes.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Bobby descobriu uma fraqueza em Taylor e explorou com ajuda de Hall e assim conseguiu um cálculo que seria arrasador, ainda mais em mãos erradas. Só que ele está tão cego em derrubar seu oponente, que não previu que ele estava alguns passos a sua frente. No cálculo tinha uma mensagem errada e Taylor não comete erros.

Gostei do encontro deles para discussão de trégua, mas é evidente que Bobby não cederá facilmente. Ao mesmo tempo, Taylor vê em seu pai um bom companheiro de cálculo, além dele trazer boas histórias dela para a trama.

Agora, Chucky correu contra o tempo, participou de eventos, mas ninguém queria tirar fotos com ele, com medo de se sujarem na sociedade. Estando tenso com tudo isso, ele descobriu nos elásticos que pode tirar sua dor de cabeça se começasse a se bater com eles, e até que funcionou, e isso nos mostra como ele é dependente desse fator para ser controlado, o que torna sua relação com Wendy mais complicada.

Agora, gostei de Bryan e Sacker fazerem o possível para irem contra um rapaz que simplesmente acabou com Chucky e o fez sair completamente de si, pois colocou seu nome e vários amigos em risco.

Da mesma forma, Bobby precisa controlar Dollar Bill, que vê no índice das galinhas uma chance de faturar muito na empresa, mas o homem que as controla acaba morrendo e o governo espalha a contagem para outras pessoas, descentralizando o índice. Com isso ele acaba perdendo a oportunidade e pensa até em sabotar os galinheiros, mas Bobby chega a tempo.

Billions como sempre nos deixando tensos em cada um de seus momentos e muito bem segurado por sua trilha sonora.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.