Billions | 2×10 – With or Without You

Billions me surpreende a cada episódio não só por sua trama e como os roteiristas buscam alocar os personagens perante elas, mas também pelo trabalho que eles tem em desconstruí-los e nos mostrar como cada um reage a determinada reviravolta em seu caminho e isso é mágico! Se não bastasse o roteiro e o elenco, o trabalho com a trilha sonora também é envolvente e pontual.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A maior desconstrução, ou melhor, exposição, neste episódio vem por parte de Bobby e como ele acaba reagindo perante o distúrbio de seu casamento. Se ver sem Lara e sem seus filhos o deixa completamente fora de si, mas além disso, vemos como ele acaba perdendo o controle quando as coisas não são como ele planeja, como uma curva que ele pode contornar, mas não tem controle total do planejado, pode jogá-lo rapidamente para fora da estrada. Mas indo um pouco além, vemos como Lara é importante em sua vida, como ela é o seu calcanhar de Aquiles e qualquer coisa que ela fizer pode deixá-lo fora de seu centro.

As mensagens enviadas, as atitudes tomadas sem pensar, tudo é muito bem explorado e nos jogado na cara esse homem que se torna até instável quando não tem o que deseja, da forma que deseja. Lara lhe mostrou um ponto e vamos ver até onde Bobby verá os próprios erros. Agora, Damien Lewis deu seu show, como sempre…

Enquanto isso, Chuck ficou frente-a-frente com George Minchak e fiquei surpreso com a personagem, que vem para somar as mulheres fortes da série. Confesso que pelo nome esperava um homem velho e cheio de histórias, mas veio uma mulher disposta a ir fundo na vida dos candidatos que Foley lhe indica. Um dos melhores momentos é ela deixando o pai de Chuck de fora do interrogatório e ele completamente cego as situações fica sem poder e isso o deixa fora de si.

Chuck foi incrível! Mostrou-se sensível ao fato dele ser o garoto que sofreu bullying e revidou, e não o contrário como ele deixa as claras na história, mas o que mais surpreende é como ele trata a sua dominatrix e consegue as informações essenciais para que ele não seja exposto por seus fetiches ao lado de sua mulher. A virada com o cliente que rouba o notebook ser investigador ser conhecido dele foi bem bacana, pois eu esperava mais uma arma para Bobby ir para cima dele.

No fim vemos que Bobby irá para outro caminho, indo para cima do investimento do Chuck pai para cima da empresa de suco, o que pode sujar muito a família e colocar investimentos em risco.

Falando em investimento, é eletrizante ver o crescimento de Taylor perante suas escolhas. A forma como ela vai se corrompendo com o que o dinheiro que sua inteligência e sagacidade lhe dão é genial. Taylor toma decisões racionais sem se quer piscar e aos poucos vai vendo que pode ir muito além, e agora, mesmo que isso machuque até mesmo Mafee, ela seguirá em frente. Bobby vê potencial e ela está disposta a pegar cada chance. E vemos sua disposição no encontro com Bryan, que ela domina cada momento da fala dele e deixa claro que sem uma justificativa ele não a pegará.

O encontro de Chuck com Wendy é cheio de carinho e recordações, e mesmo que ela esteja com medo de Hall, que foi com Bobby colocá-la contra a parede, ela acaba cedendo ao novo Chuck que se coloca a sua frente. Sozinha em casa ela o chama para satisfazer suas fantasias, e do lado de fora Hall observa a situação, sem saber os desejos do inimigo de seu patrão.

Sempre genial em seu desenvolvimento, Billions mais uma vez nos surpreende e já caminha para uma reta final que promete e muito. Impossível não sair satisfeito e ansioso pelos próximos episódios da série.