BGS 2019 | Experimentei Bleeding Edge no estande da Microsoft

Dentre os games presentes no estande da Microsoft Xbox nesta BGS 2019 estava o mais novo filhote da Ninja Theory, Bleeding Edge.

A Ninja Theory para quem não conhece é uma desenvolvedora inglesa bem versátil e responsável por títulos como Enslaved: Odyssey to the West (2010), DmC: Devil May Cry (2013) e de Hellblade: Senua’s Sacrifice (2017).

Em seu jogo mais recente, Hellblade: Senua’s Sacrifice, assumimos o papel de Senua, uma guerreira celta que se lança em uma viagem para resgatar a alma do seu amado Dillion do mundo dos mortos. A jovem sofre de um trauma e quadro psicótico ocasionado ainda em sua infância por uma invasão bárbara Viking ao seu vilarejo. A ideia do jogo é fazer você sentir como é ter o seu emocional dilacerado e abalado ao ponto de chegar ao limite da loucura, escutando vozes, gritos, sem saber o que é real ou não, enquanto a guia em sua jornada pelo reino dos mortos.

E depois do estúdio produzir um jogo profundo e denso como este, temos o anúncio durante a E3 2019 de Bleeding Edge, um jogo focado em um combate multiplayer 4 contra 4 que deixa um pouco a narrativa de lado para focar na diversão e na boa e velha pancadaria.

E só pelo trailer exibido durante a E3 eu me empolguei, e confesso que mesmo que eu não seja fã de games do gênero, principalmente pela minha falta de habilidade em jogos multiplayer, fui fisgado pelo estilo, pelo visual e pela diversão que o mesmo parecia oferecer.

Entretanto, a Ninja Theory sempre foi um estúdio focado em narrativa e confesso que por este motivo, fiquei um pouco com a pulga atrás da orelha. Afinal a mudança de um jogo como Hellblade para Bleeding Edge é gigante.

Vale lembrar que a desenvolvedora revelou que já trabalhava no game há alguns anos, antes mesmo de ser adquirida pela Microsoft.

E pelo perfil da desenvolvedora, talvez a decisão pela mudança radical possa ter sido o desafio ou talvez o objetivo em atender um nicho que vêm se tornado popular e que pode até render algo mais. Até porque multiplayers competitivos sempre podem oferecer um lugar ao sol entre jogos que se qualificam para o eSports.

Gizmo é uma jovem de 17 anos, filha de mineiros e nasceu na Austrália.

Portanto, a melhor maneira de sumir com a pulga era aproveitar que o jogo estava disponível no estande da Microsoft, durante a Brasil Game Show 2019 e jogar.

É importante ressaltar que em Bleeding Edge, assim como em todo jogo multiplayer competitivo, uma equipe entrosada e que de suporte aos outros membros ajuda e muito. Algo que nem sempre é possível de se esperar ao jogar partidas com pessoas aleatórias no game que for, estando em casa ou em um evento como a BGS.

O mapa disponível para degustarmos durante a BGS 2019 era o modo “capturar a bandeira” que já é bem conhecido de jogadores que se aventuram nos games multiplayer. As classe iniciais oferecidas até o presente momento são assassino, tanque e suporte. Cada personagem oferece estilos de combate e combos diferenciados que tem como objetivo se encaixar aos mais diversos tipos de players. Inclusive era possível experimentarmos mais de um personagem durante a partida.

Os controles respondem bem e senti que se esquivar na hora certa ajuda e muito a se manter vivo por mais tempo, ainda mais que o foco do jogo parece ser mais o corpo a corpo. E nem posso dizer que o jogo não inova quanto aos modos e a forma de jogá-los já que o game apresentado durante o evento não estava em sua versão integral.

Agora uma coisa que fica clara é que independente do estilo de jogo, a Ninja Theory não brinca em serviço e mais uma vez demonstra o cuidado e zelo ao produzir os seus títulos.

Makutu é da Nova Zelândia e é fã de rugby.

Bleeding Edge cumpre o seu papel e mesmo que eu tenha sido literalmente destruído durante os dez minutos em que joguei, eu me diverti muito. Os personagens demonstram personalidade, são divertidos, carismáticos e te envolvem, cada um a sua maneira.

De uma forma geral, eu gostei muito da proposta do jogo e com alguns afinamentos e um polimento mais aprimorado, tenho a impressão que Bleeding Edge pode conquistar aquele público que anda cansado do tradicional e que busca algo diferenciado e com mais personalidade.

Bleeding Edge tem previsão para chegar em 2020 para Xbox One e PC.

Erick Cartman

Meu nome é Erick ( @Erick_Cartman ), cursei Administração e atualmente faço Licenciatura em Letras e Inglês. Sou um cara comum que gosta de passar o tempo livre conferindo animes, filmes, games, HQ's, kdramas, livros, séries e coisas relacionadas. Se quiser me segue lá no Twitter para trocar uma ideia ou jogar conversa fora.