Betina Vlad e o Castelo da Noite Eterno | Resenha

Venho acompanhando a produção de Betina Vlad e o Castelo da Noite Eterna há um tempo, pois gosto do trabalho de Douglas MCT, principalmente após a leitura de seu mangá Hansel & Gretel – Vol. 1, e por admirar a forma como ele demonstra o carinho pelo o que está produzindo.

Logo de cara, quando você pega a edição de Betina Vlad e o Castelo da Noite Eterna, lançado aqui pela AVEC Editora, nos deparamos com sua capa cheia de ilustrações que dão o tom da obra, e seu lado meio psicodélico nos mostra que a viagem para esse mundo será bem vertiginoso.

Resumindo, Betina Vlad é uma garota de 16 anos, órfã, que se vê perseguida por pessoas que ela conhecia até então, e na busca de salvar a própria vida, ela vê sua amiga sendo decapitada e virando uma cabeça imortal e falante, enquanto conhece novas pessoas e vai descobrindo como é ser uma sobrenatural. Assim, como temos os sobrenaturais, os tais monstros de nossa história, aqui tendo uma roupagem jovem e divertida, temos também a Inquisição Branca e suas perseguições para contra esses monstros.

Enquanto Betina vai descobrindo ser filha de Drácula com uma brasileira, ela também precisa compreender o novo universo que adentra, principalmente os novos amigos e o castelo mágico de seu pai. O castelo, além de uma escola, é uma fortaleza para os sobrenaturais, e a inquisição, ou Mosteiro, quer saber o paradeiro do castelo e coloca Van Helsing no encalço de Betina e ele acaba tendo em suas mãos uma jovem aluna que é a chave para ter os sobrenaturais a sua mão.

Ponto mais que positivo do livro é sua linguagem. Jovem, cheia de citações e pequenas piadas, você é jogado nesse universo de monstros e caçadores e vai aprendendo tudo pela visão de Betina e seu diário, então as novidades vão surgindo e sendo muito bem desenhadas. Mas são os amigos e professores de Betina quem mais nos chamam a atenção, pois vemos referências de diversas mitologias e ficamos encantados com eles, principalmente Tafari.

Você reconhece o filho de Victor Frankenstein em Adam, que em um momento ao usar sua inteligência e arma tem uma descrição fantástica envolvendo eletricidade e suas juntas metálicas; o desbocado Tyrone, lobisomem que se torna braço direito de Betina; Navas, um ser anfíbio que eles ficam pegando no pé; a cativante e misteriosa fantasma japonesa Yunrei; Maeve e sua bruxaria; além de inúmeros outros que vão surgindo pelas páginas.

Outra coisa bacana é a forma como vemos as comunicações tanto entre os professores do castelo, quanto os membros do mosteiro, já que vemos seus emails sendo trocados por celulares. Uma decisão que o próprio Douglas MCT falou resolver tirar isso das cartas trocadas na obra de Bram Stoker, e falando nisso, conversar com Douglas é adentrar neste universo de cabeça e querer saber cada vez mais sobre Betina e seus amigos.

Betina Vlad e o Castelo da Noite Eterna, para mim, só peca um pouco no excesso de citações de música e filmes, mas é algo que você acaba acostumando durante a leitura. Ao mesmo tempo, é isso que torna o livro delicioso, principalmente quando vamos conhecendo os personagens, como Mina Murray, personagem de Bram Stoker, que aqui tem um filho com Drácula, Quincey, e o mesmo foge do castelo e a deixa nas lamúrias.

Gosto da forma como Douglas acaba levando o caminho do livro para um desfecho, que já traz algumas surpresas e reviravoltas em alguns conceitos, mas principalmente por no último capítulo não termos um final feliz de fato, com direito a novas descobertas sobre os novos amigos de Betina.

Se você é fã de fantasia, Betina Vlad e o Castelo da Noite Eterna é uma incrível pedida, pois nos leva para um mundo instigante e visceral, além de nos fazer passagens deliciosas, como a correria dos personagens pelo bairro da Liberdade e as passagens pelo Metrô em São Paulo. Impossível não terminar o livro e já querer um novo volume de Betina Vlad e os Sobrenaturais.

Quer saber mais sobre a obra? Acesse https://www.facebook.com/betinavlad/.

FICHA TÉCNICA

Título: Betina Vlad e o Castelo da Noite Eterna
Autor: Douglas MCT
Editora: AVEC Editora
Gênero:
 Fantasia
Páginas: 296
Formato: 22,8 x 15,6 x 2,2 cm
ISBN: 978-85-544-7014-2

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.