Benedict Cumberbatch, de Sherlock, rebate às declarações de seu colega: “é bem patético”

Parece que há uma certa tensão entre os atores principais da série Sherlock, em relação aos fãs. Segundo informações da imprensa britânica, Martin Freeman – que interpreta o personagem Dr. John Watson – relatou algumas reclamações por parte dos telespectadores mais assíduos do seriado.

E isso não foi deixado de lado! Tanto é que o seu colega de trabalho, Benedict Cumberbatch – que dá vida ao detetive mais famoso do mundo, o Sherlock – comentou sobre o assunto. Confira:

“É bem patético se isso é tudo o que você precisa para deixar que você não queira controlar sua realidade”, disse Cumberbatch, ao jornal The Telegraph, do Reino Unido. “O que, por causa das expectativas? Eu não sei. Eu não necessariamente concordo com isso… Eu simplesmente não me sinto afetado por isso da mesma maneira, eu tenho que dizer”, finalizou o ator.

No mês passado, Freeman havia reclamado da quarta temporada da série, pois, ao seu ver, tudo aquilo, de continuar o show, estava de tornando “meio impossível”. Uma de suas declarações a respeito dessa situação foi a seguinte: “As expectativas das pessoas, algumas delas não são mais divertidas. Não é uma coisa para ser desfrutada.”

Sherlock terminou a sua quarta temporada há mais de um ano, e, atualmente, não há planos de se produzir uma quinta temporada, como revelou o co-criador do seriado Mark Gatiss (Doctor Who), em fevereiro de 2017, noticiado aqui no Arroba Nerd. Isso se explica pela agenda lotada dos atores, afinal, eles estão se dedicando à carreira cinematográfica e, claro, sem esquecer, a falta de entusiasmo de Martin.

Mas e aí? Você, meu caro leitor, fã de Sherlock… Concorda com as declarações? Deseja uma nova temporada, mesmo que demore mais alguns anos? Conte-nos as suas impressões nos comentários logo abaixo!

Arthur Barbosa

22 anos, Técnico em Química de Beagá, Minas Gerais. Não consegue ficar longe da escrita de séries, por isso está nos bastidores do Arroba Nerd. É Vestibulando de Medicina e pretende adentrar nas portas da UFMG. Acredita que em um dia próximo a Netflix irá dominar o mundo.