Bates Motel | 5×06 – Marion

Se osso resumir este episódio em uma palavra, essa seria: SURPREENDENTE! Chegando finalmente ao ponto de Psicose, Bates Motel nos presenteia com uma homenagem para lá de chocante e mesmo com grandes mudanças, até mesmo a cena do banheiro foi bem reencenada. A morte condiz demais com todo o tema e jornada de Norman até aqui, mas é seu conflito com a Mother, a Norma de sua cabeça, que deixa o roteiro a 4 mãos de Carlton Cuse e Kerry Ehrin ainda mais brilhante.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Norman e Marion finalmente se conhecem, afinal, da última vez ele apenas viu Sam murmurar seu nome através do buraco na parede. A conversa dos dois é intensa, principalmente com ele entendendo que ela é a amante de Sam, que ele não gosta muito devido o que faz com Madeleine, que ele tanto gosta. Esse encontro e ele também vê-la tomar banho enquanto espera por Sam, o faz ter um diálogo sensacional com a Norma.

A Mother finalmente é exposta por Norman, que deixa claro saber que tudo o que ela faz é através de sua cabeça e a briga dos dois acaba se tornando ainda mais surreal. A coisa só fica realmente interessante quando ela começa a expor para ele o que tanto faz para protegê-lo, todo o medo que ele tem, a falta de força e como ela “esconde” dele as atitudes. É aí que Norman se dá conta que precisa pará-la, e tudo enquanto ela joga na cara dele o que ele fez com o pai. O problema é que ela deixa claro que ele precisa aprender a agir por conta própria e matar Marion seria o passo inicial…

Norman deixa claro que não fará nada com Marion e ela acaba indo embora depois de descobrir que Sam é casado e toda a mentira que ela viveu com ele. Somos enganado de forma a acreditar que ela morreria no banheiro, remetendo a clássica cena do filme de Alfred Hitchcock, mas tudo caminha para algo ainda melhor…

Sam vai atrás dela no motel depois que Madeleine o expulsa e ao não encontrá-la e todo encharcado, ele decide tomar banho. Ali Norman invade o local e então temos a cena clássica dele abrindo a cortina, Sam sendo esfaqueado, sua queda puxando a cortina e por fim sua morte… Trocar o assassinato de Marion para Sam é importante para o contexto de abuso que Norman sofreu, já que os homens ao seu redor sempre foram abusivos, e Norma sempre apontou isso, então Sam, que abusava emocionalmente de Madeleine e Marion, com quem Norman também sentiu uma conexão, foi uma saída sensacional!

Mãe, o que foi que eu fiz? – Norman

Agora é esperarmos para ver os caminhos a serem seguidos a partir deste ponto e as divergências e homenagens diante a Psicose. Rihanna esteve incrível em cena, entregou uma personagem forte e emocional, mesmo com pouco tempo em cena, uma pena já ter ido embora…

Só que longe de tudo isso ainda temos Dylan descobrindo a morte de Norma, mas é a forma fria com que Norman o trata que realmente o deixa preocupado. Já temos por ele indo atrás do irmão e a Mother fazendo algo contra ele, ou até mesmo Chick, que está mais próximo a Norma. Emma sofreu ao imaginar o que pode ter acontecido com sua mãe, mas seu sofrimento maior foi descobrir que Norma veio a falecer em um suicídio mal explicado, e vale lembrar que Emma tinha nela uma visão de uma mãe amorosa e todos os encontros das duas eram bem tocantes.

Assim Bates Motel caminha para sua conclusão com ótimas atuações de todo o seu elenco que não cabem mais elogios a Freddie Highmore e Vera Farmiga, mas vale reforçar o quanto Rihanna segurou maravilhosamente bem as pontas. Além disso tivemos um trabalho de fotografia incrível e a direção de Phil Abraham (Marvel – Demolidor, Mad Men, The Killing) foi certeira.

Fico por aqui, comentem e to be continued