Bates Motel | 5×01 – Dark Paradise

Bates Motel está de volta e não poderíamos começar esse review sem falar: Vera Farmiga é demais, mas Freddie Highmore merece alguns prêmios pela série. O ator dá conta do recado em cada cena e as nuances de sanidade, e insanidade, de seu personagem vai e vem a medida que a trama pede para ele. Um retorno introspectivo e que nos mostra onde cada um de seus personagens estão nestes anos que se passaram…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Como um carro desgovernado somos arrebatados para dentro da psicótica realidade de Norman e Freddie segura as pontas muito bem ao mostrar um rapaz normal, seguindo sua vida, cuidando do motel e fazendo os afazeres de gerente que lhe competem. Enquanto isso, em casa, Norma, a sempre incrível Farmiga, toma conta das coisas, faz comida e tudo mais, só que ela está morta e a direção pegou para mostrar isso de uma forma deliciosa.

Todas as cenas de Norma e Norman são exageradamente coloridas e é ele virar as costas que a realidade é mostrada, com direito a casa bagunçada, roupas espalhadas, pratos sujos, comida estragada e muita, muita sujeira… Só que a sujeira de Norman e sua vontade de levar uma vida “normal” ao conhecer Madeleine o faz ter uma grande discussão com Norma, que lhe mostra ainda mais de seus blackouts.

Em dado momento do episódio, Norman tenta comprar algumas tintas e é onde conhece Madeleine, e neste ponto ele contra a carteira de um homem em seu paleto e ao questionar a mãe, ela manda ele guardar aquilo e esquecer. Só que na briga entre os dois, Norma resolve mostrar-lhe a verdade e como Joe está morto e dentro de seu freezer depois dele matar o homem. Engraçado como a direção e o roteiro nos mostra que ele compreende seus atos, de como Norma realça estar morta, mas mesmo assim ele não assume o que faz, deixando tudo nas costas da mãe.

Agora, quem é Joe? Primeiro descobrimos que Romero está preso todo esse tempo, mas buscando se vingar de Norman, só que sua sentença sempre é prolongada, mas isso não o impede de mandar Joe procurar Norman e é aí que temos mais um corpo nas contas de Norman Bates…

E novamente voltando a Norman, ele não aceita bem a chegada de um misterioso homem, que para desvencilhar do questionador gerente lhe dá o nome de David Davidson, e a curiosidade de Norman o leva a observar o cliente através do outro quarto, enquanto o homem transa com uma mulher. Seria Marion? Só vem Rihanna!

Beeeem longe dali, Dylan e Emma segue suas vidas, agora tem uma filhinha chamada Kate e esquecem o passado conturbado com Norman e Norma. O problema é que no meio de tanta felicidade Caleb reaparece… A conversa deles é bem constrangedora, mas o mais importante é vermos eles acabam conversando bastante sobre tudo a volta deles. No momento mais intimo, Dylan conta a Emma sobre o dinheiro que seu pai lhe deu, e ela confronta o sogro só para agradecer por ter lhe dado uma nova vida, mas que ele não poderia ficar ali com eles.

Bates Motel já nos abre suas tramas nos conquistando com os devaneios de Norman e sua cumplicidade com sua mãe, mas é mostrando que as tramas tendem a se complicar que ficamos mais empolgados em ver mais de tudo isso. Que a série só cresça neste seu último ano.

Fico por aqui, comentem e to be continued