Arrow | 6×13 – The Devil’s Greatest Trick

E parece que faz muito tempo que a temporada começou, mas estamos apenas chegando na metade da mesma e Arrow finalmente mostrou o grande vilão da mesma. Uma pessoa, boa de jogo, cheio de artimanhas, vinha articulando todos os movimentos de Cayden, e poderia ser Alena, ou ainda pode, se ela for manipulada pelo vilão, mas a série mostra que tem muito o que caminhar.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Cayden só no final descobriu que foi manipulado e que Oliver não matou seu filho, mas quis colocar a verdadeira pessoa frente-a-frente dele e de seus inimigos. Achei que fossem realmente demorar para mostrar isso, mas logo somos interrompidos pelo cordão de Laurel, que desestabiliza o detonador da bomba e quase mata a todos, mas dá tempo para ela fugir. Cayden, lembrando do filho, quase explode tudo, mas ao ver a relação de William e Oliver, acaba abrindo a brecha e sendo pego.

Aqui o maior vilão foi o amor desmedido de um pai pelo filho, um pai ausente, que nunca mais terá a chance de arrumar as coisas. E é nesse vão que Oliver acaba reforçando seu elo com William. Acredito que o garoto ainda pode acabar a vir a ser uma pequena versão do Damien Wayne, mas mais comedido.

Anatoly também não era o vilão traiçoeiro, por mais que adore umas armadilhas, e Laurel foi baleada por Dinah, que está cada vez mais cega de ódio pela Sereia Negra. Agora quero ver como Quentin lidará com a filha que ele tenta forçar na cabeça dela, voltando ao amor paterno, enquanto Dinah busca sua vingança.

Diaz então se mostra um vilão preparado, paciente, disposto a detonar Oliver e tudo o que ele construiu. Realmente colocar a cidade em cinzas, para no fim das contas tomá-la para si. Ao matar Cayden ele deixa claro que tem homens ao seu comando, mas fica a dúvida de até onde ele irá…

Uma parte que foi bem engraçada aqui foram as cenas de luta. As coregrafias que já não eram lá muito trabalhadas, aqui foram desastrosas, principalmente nas cenas de Laurel e Dinah. Me empolgo com as duas juntas pois gosto dos dramas delas e de como podem crescer, mas pecaram aqui.

Arrow está intensa, mas falta alguma coisa nela… Terminamos o episódio esperando que ela nos entregue algo, mas fica apenas a sensação de “ok!”.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.