Arrow | 6×11 – We Fall

Gostei do trocadilho com os títulos dos dois últimos episódios de Arrow, pois se no anterior era “Divididos” aqui somos “Nós Caímos”… Isso aí, agora são dois trios focados em salvar Star City a sua maneira, mas como ambos são amigos e tem o mesmo objetivo, nada como trocar informações, e Felicity e Curtis fazem isso muito bem.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Foi legal ver o crescimento de Curtis até aqui e ele precisava dessa separação para sair das asas de Felicity. René ainda tem muito o que mostrar, enquanto Dinah precisa crescer ainda mais para mostrar-se uma Canário Negro interessante, assim como Laurel poderia ter se mostrado se tivessem dado mais tempo, pois sua jornada estava bacana.

Voltando ao episódio, aqui temos mortes importantes para a sociedade de Star City, como um prefeito e um policial muito querido por todos. James então assume os atentados e de frente com Oliver pede 10 milhões por dia até ele achar que deu, tudo para vingar a morte de seu filho, sem saber que no dia que o garoto foi assassinado Oliver estava em Hub City atrás de Dinah, não tendo nada a ver com a morte do garoto.

Assim temos Oliver correndo atrás de informações ao lado de Felicity, enquanto Thea e Lance buscam uma forma de se aceitarem, e tendo bons momentos juntos, bem pai e filha. E falando nisso, William teve que ver da pior maneira possível que seu pai voltou ao capuz do Arqueiro Verde, sendo resgatado pelo mesmo, mas confesso que gostei do garoto tomando a liderança no ônibus e ajudando os colegas a escaparem.

Vince, o Vigilante, se mostrou um agente infiltrado e ajudou o time de Dinah a descobrirem onde seriam os atentados de James e pode ser que ele tenha um fim bacana, ou sua mutação possa colocá-lo com a cabeça em dois lugares, não sabendo distorcer disfarce e suas atitudes.

E temos John Diggle de volta ao manto de Espartano. Diggle é importante para manter Oliver pé no chão, assim como Felicity é a parte emocional, e enquanto ele estava fora, Oliver realmente pareceu meio perdido.

Arrow está interessante, dividir a equipe e separar o tempo entre elas, ao invés de jogar os 6 heróis juntos e ver o que dá soa mais interessante devido as possibilidades de transição das tramas, e este episódio foi mais bacana exatamente por isso, saber dosar cada um deles. Achei que a conversa com William deveria partir de Thea, mas gostei da forma como Felicity se posicionou, e Oliver poderia chegar de forma mais forte.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.