Arroba Cult | A Vida Invisível, de Karim Aïnouz, será distribuído pela Amazon Studios nos Estados Unidos

Inscrito entre os candidatos a representar o Brasil no Oscar de 2020, A Vida Invisível, o sétimo longa-metragem da carreira do diretor cearense Karim Aïnouz, se tornou o primeiro título latino-americano a ganhar distribuição pela Amazon Studios nos cinemas dos Estados Unidos. A negociação foi realizada pela alemã The Match Factory em parceria com a Creative Artists Agency (CAA), maior agência de talentos do mundo, que representa Aïnouz e o produtor Rodrigo Teixeira no país norte-americano.

Estamos muito animados com essa negociação. A recepção em festivais tem sido tocante e certamente a aquisição da Amazon Studios dá um selo importante para o filme nos Estados Unidos, além de reafirmar o potencial que acreditamos que o longa tenha em dialogar com as diferentes audiências”, afirma o produtor Rodrigo Teixeira.

A Amazon, gigante do mercado cinematográfico mundial, esteve à frente da distribuição de títulos, como O Apartamento, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 2017, e Guerra Fria, indicado em três categorias da premiação: melhor direção, melhor filme estrangeiro e melhor fotografia.

Ter um filme veiculado por uma plataforma do porte da Amazon é ter a possibilidade de alcançar uma parcela significativa de espectadores pelo mundo. Esse selo reforça a capacidade do filme de transitar entre grandes audiências e é mais uma conquista inédita para o cinema nacional”, afirma o diretor do filme, que, depois de estrear nos cinemas, estará disponível na Amazon Prime Video, plataforma de streaming da empresa americana.

O longa-metragem, adatapado do romance de Martha Batalha, tem distribuição conjunta da Vitrine Filmes e Sony Pictures, traz no elenco Carol Duarte, Julia Stockler, Gregorio Duvivier, Bárbara Santos, Flavia Gusmão e Fernanda Montenegro, como atriz convidada.

A Vida Invisível chega em 31 de outubro nos cinemas nacionais.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.