Aos Teus Olhos | Crítica

O nacional Aos Teus Olhos (2018) vem com trama simples, rápida e que fala de um tema super atual. Passando um ar de modernidade, o longa fala de um assunto comum na mídia hoje em dia, o de como as notícias (reais ou não) podem se propagar com uma velocidade cada vez maior e o papel de que a internet e das redes sociais tem em auxiliar essa difusão cada vez maior. Aliado ao sentimento de justiça com as próprias mãos e personagens que acabam se intitulando como acusadores, membros do júri e juizes o drama vem com um bom elenco para contar uma história incomoda e de embrulhar o estômago.

Daniel de Oliveira mostra uma atuação bastante envolvente e que consegue transmitir uma ambiguidade sem tamanha e de uma forma bastante impactante, o ator acerta ao passar de um jeito único as intenções de seu personagem ao transmitir durante todo o mundo o sentimento de dúvidas que fica plantado na cabeça de quem assiste ao filme.

Foto: Pagu Filmes

Aos Teus Olhos também vem em outra onda do momento, a presença feminina por trás das câmeras e sua diretora Carolina Jabor deixa claro sua presença e faz do filme um trabalho sutil mas tem uma preocupação gigante com os detalhes. Isso fica muito claro em como as coisas são transmitidas para quem assiste.

Com um olhar mais intimista da situação, o longa consegue mostrar mesmo que não de uma forma tão aprofundada como em Dúvida (2008), as visões dos personagens, tanto do acusado, dos amigos e dos acusadores e como toda a situação se desenrola, o filme não mostra os motivos e isso uma parte dos fatos. Jabor acerta em tomadas mais fechadas e sempre por focar em transmitir os dois lados num “foi ou não foi?” que permeia todo o filme deixando com que o espectador forme sua própria opinião e que acaba sendo mais uma dentro as tantas dos personagens do filme que parecem ter a sua, já formada.

Por contar uma história onde a tecnologia e a rapidez das informações chegam até nós o filme tem em sua trama uma curta passagem de tempo onde vemos Rubens (o ótimo Daniel de Oliveira) um professor de natação que dá aulas para crianças e pré-adolescentes em um clube ser acusado por um de seus alunos. Na trama, o jovem Alex (Luís Felipe Melo) diz à mãe que o professor lhe deu um beijo na boca no vestiário e assim, quando a informação é divulgado em grupos de mensagens e nas redes sociais, Rubens sofre uma perseguição virtual e que acaba por afetar sua vida real, principalmente suas relações no trabalho e na vida pessoal.

Foto: Pagu Filmes

Aos Teus Olhos chega ser desconfortável em diversos momentos, o filme sabe bem mostrar todo o comportamento carismático e envolvente do professor com todos, desde das crianças até os colegas e uma personalidade masculina hetera de comentários de boteco. E graças ao excelente desempenho de Oliveira vemos que Rubens é muito mais do que isso, o personagem acaba sendo bem facetado e que se mostra um ser humano com problemas, desejos e anseios e mesmo que o filme passe toda essa dualidade e flerte com todos os lados (tanto de culpado quanto de inocente).

O ator sim é responsável pelos momentos mais dramáticos, pelas cenas mais densas e pelos monólogos mais interessantes. Aos Teus Olhos é Daniel de Oliveira se desmanchando aos olhos do espectador na medida que a avassaladora quantidade de acusações chegam para o seu personagem como se o professor de natação fosse jogado numa piscina olímpica e se afogasse em comentários, likes e mensagens de texto.

Os personagens coadjuvantes também acabam entrando na jogada e mesmo que os pais do menino interpretados pelos atores Stella Rabello e o ótimo Marco Ricca, tenham parte no desenvolvimento da trama eles representam apenas um lado, o lado acusador e acabam deixando toda a carga mais intensa e pesada nas mãos de Ana, a diretora do clube interpretada pela super competente Malu Galli que acaba por servir como os olhos do público. Ana é aquela personagem colega que acaba por navegar das mesmas questões de dúvidas que quem assiste o filme acaba tendo, e ela nos ajuda a tenta montar o jogo de quebra-cabeças deixado no seu colo à medida que a bomba explode e uma investigação começa.

Como a força de uma notícia que circula em grupos de mensagens Aos Teus Olhos começa e termina na mesma rapidez e intensidade. O filme apresenta seus personagens, seus conflitos e coloca as cartas na mesa para quem assiste tomar a decisão do que fazer com o punhado de opções disponíveis.

Com uma fotografia com tons pasteis e poucas locações, Aos Teus Olhos é um filme nada direto e abusa ao mostrar personagens ambíguos, mesmo que alguns até mesmo não estejam bem desenvolvidos pelo roteiro que acerta ao tocar em um assunto delicado e importante mesmo que de forma até superficial mas que no fundo ele mereça ser debatido e discutido. Uma pena que quando o filme acaba ganhando corpo e tomando fôlego para entrar numa discussão mais profunda, Aos Teus Olhos termina num piscar de olhos.

Nota do Crítico:

Aos Teus Olhos estreia nos cinemas em 12 de abril depois de passar pelo Festival do Rio de 2017, a Mostra Internacional de SP e o Festival Mix de Diversidade. 

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales