American Horror Story: Cult | 7×07 – Valerie Solanas Died for Your Sins: Scumbag

Trazendo história para dentro de American Horror Story: Cult, incluindo o artista Andy Warhol, a série mostrou o poder feminino e como elas devem se unir contra aqueles que querem suprimi-las. Meu maior problema com este episódio ainda é a forma como Kai é o soberano, mas gostei de como atores amigos de Ryan Murphy participaram deste episódio.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Beverly começa a querer mais destaques e busca entender o que Kai está planejando para todos eles, mas é a morte de Meadow que acaba chocando não só ela, como Ivy e Winter, que acabam se unindo a uma estranha que promete que elas irão compreender como os homens sempre usam as mulheres para conseguir o que quer. A chegada de Bebe (Francis Conroy) é importante para dar essa movimentada na trama, além de mostrar a história da feminista e ativista Valerie Solanas, que atirou em Andy Warhol.

Valerie (Lena Dunham), após atirar em Andy (Evan Peters), acaba criando o SCUM, um grupo que vão com tudo para cima da supremacia dos homens, matando eles e as vezes até suas parceiras. O maior problema é que acabam criando um serial killer, o Zodíaco, colocando um homem a frente das ações de Valerie e seu grupo. Além disso, Val, que namorava Bebe, acaba ficando cega com suas ações e no fim a relação morre, enquanto a cabeça dela fica em como assumir o SCUM, mas ninguém acreditando.

No presente vemos Winter descobrir por Kai que Harrison pensa em deixar as mulheres de lado e até cria um nome que as menosprezam, o que faz Beverly, Ivy e a própria Winter, com ajuda de Bebe, irem para cima de Harrison e matá-lo, reabrindo o SCUM. Só que no fim descobrimos que Bebe está do lado de Kai.

Mais uma reviravolta na história com Kai testando todos os seus elos fracos e ele acaba de descobrir que as mulheres podem se virar contra ele se ele não tomar cuidado. Infelizmente o episódio, por mais que venha com história e mortes, acaba sendo lento e só empolga de verdade mais para frente da metade do mesmo.

American Horror Story: Cult continua abusando da pior parte dos homens e exagera no horror, e agora inclui uma história forte e que faz parte não só do mundo pop e ate criminal, mas falta trama, pois não parece ir muito longe as coisas, mesmo com os diálogos sempre sendo primorosos, só que as conduções das tramas são lentas e sem sal.