4 melhores séries de 2016

2016 foi um ano excelente para as séries de TV. E aqui temos as produções que achamos as Melhores Séries de 2016 da TV aberta, serviços de streaming e TV a cabo, onde algumas das produções da TV parecem esse ano pequenos filmes com orçamento gigantesco (oi, The Crown).

As Comédias ficaram cada vez mais sarcásticas e sempre tentando trazer uma conexão com os eventos do dia-a-dia, já os Dramas trouxeram histórias poderosas, sobre exposição com a realidade e tecnologia, um pouco de nostalgia e claro, alguns novos formatos que já devem ser mais comuns em 2017: a maratona (o famoso bing-watching) e as produções de séries fechadas, ou como podemos classificar, as minisséries.

Na nossa coluna, o já tradicional 4 coisas, nós do Arroba Nerd separamos as 4 Melhores Séries de 2016.

4. Stranger Things (Netflix)

Foto: Netflix

Na metade do ano a Netflix lançou a série que traria de volta Winona Ryder para as telas, mas pouco se sabia sobre o elenco ou sua história. Então eis que a produção da Netflix explodiu as redes sociais e as conversas entre amigos, sobre a história de três garotos que nos anos 1980 investigam o desaparecimento de um colega e conhecem uma estranha garota de nome Eleven.

Unindo muita nostalgia, alguns dados dos usuários do serviço de streaming e criando novos elementos para a cultura pop, Stranger Things fez todo mundo maratonar seus 8 episódios e criar um hype gigante para série que marcou presença nas premiações e nas festas temáticas de 2016.

Mais um acerto da Netflix, que virou os viciados em série de cabeça para baixo.

3. VEEP (HBO)

Foto: HBO

A série que entrou no seu 5º ano teve sua 1ª temporada sem o seu criador Armando Iannucci, o que gerou uma certa preocupação da imprensa americana no começo desse ano. Uma preocupação à toa, pois o novo showrunner, David Mandel, conseguiu e fez VEEP ter uma de suas melhores temporadas e, claro, ser uma das melhores séries do ano.

Julia Louis-Dreyfus dominou cada segundo desse quinto ano, onde sua personagem lidou várias situações hilárias, desde ganhar e perder a eleição, a perda da mãe que ela pouco se importava, e lidar com os funcionários cada vez mais atrapalhados. O destaque dessa temporada foi o episódio Mother, onde a Presidente Meyer está no velório da mãe, mas acaba chorando pela sua perda do cargo de Presidente num paralelo fantástico que só JLD poderia nos entregar.

Num ano onde a política americana sofreu muitas reviravoltas e não foi nada como o esperado, VEEP trouxe um enredo afiado sobre política e relações de poder unido com um maravilhoso elenco.

2. Westworld (HBO) 

Foto: HBO

Com uma ideia relativamente simples, um parque de diversões com robôs em estilo faroeste, Westworld trouxe aquilo que os fãs de seriados mais gostam: elaborar e discutir teorias. Muita teorias. O novo drama do canal a cabo HBO, conseguiu criar um mundo tão rico e complexo, mas com uma grande preocupação, tanto no visual e os detalhes, quanto nos diálogos e na edição dos episódios.

Com atuações excelentes de Evan Rachel Wood, Thandie Newton e do sempre fantástico Anthony Hopkins, Westworld nos levou para dentro de um grande labirinto, onde toda semana descobrimos um pouco desse grande mundo em que os robôs são pessoas iguais a gente e começam a ter consciência própria. Junto com as tramas dos “anfitriões” pudemos ver um grande jogo de gato e rato corporativo numa trama de espionagem industrial e disputa de poder.

1. The People v. O.J. Simpson: American Crime Story (FX)

Foto: FX

O produtor Ryan Murphy, e sua equipe de roteiristas, conseguiram fazer o impossível e contaram uma história que foi contada, televisionada, transformada em livros e especiais de TV, numa série impecável, com atuações fantásticas e, claro, que levou uma grande quantidade de prêmios nas principais premiações americanas.

Usando temas como a luta de gêneros (destaque para o episódio Marcia, Marcia, Marcia), de raças e da febre da cultuação a celebridades, tudo misturado com o plano de fundo o julgamento do esportista O.J. Simpson. A série conseguiu balancear o estilo de documentário com um programa policial sensacionalista e também mostrou cenas de julgamento no tribunal que fazia cada episódio um momento tenso, mesmo todos já sabendo o que iria acontecer no final.

O destaque para a produção ficou para a sempre no tom Sarah Paulson, que ganhou o personagem da sua carreira Marcia Clark, onde ela conseguiu mudar a perspectiva do público americano sobre a odiada e presunçosa advogada de acusação. Os episódios conseguiram mostrar bem o preconceito que uma Promotora sofreu e o que deveria ter sido um julgamento um pouco mais tranquilo foi transformado em um circo apoiado pela mídia e pelo público que acompanhou o que ficou conhecido como o Julgamento do Século.

Assim, The People v. O.J. Simpson: American Crime Story foi uma das Melhores Séries de 2016.

E você? Quais foram as melhores séries de 2016 que você viu? Use os comentários abaixo ou marquem a gente no nosso perfil @ArrobaNerd lá no Twitter.