18º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro anuncia lista de finalistas

Foi dada a largada para a maior premiação nacional do audiovisual.

A Academia Brasileira de Cinema acaba de divulgar a lista com os filmes finalistas do 18º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que este ano será no dia 14 de agosto, com transmissão ao vivo para todo o país pelo Canal Brasil. O campeão de indicações é Chacrinha : O Velho Guerreiro, dirigido por Andrucha Waddington e produzido pela Media Bridge, que disputa o Troféu Otelo em 12 categorias. O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues, tem 10 indicações, seguido por Benzinho, de Gustavo Pizzi, com nove.

Escolhidos pelos sócios da Academia, em votação auditada pela PwC (a mesma que faz a apuração do Oscar), os finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro concorrem ao Troféu Otelo em 33 categorias, sendo quatro inéditas: melhor filme ibero-americano lançado no Brasil e as melhores séries brasileiras de produção independente de ficção, documentário e animação exibidas na TV por assinatura e no OTT.

A disputa deste ano reuniu 74 longas de ficção, 67 longas documentários, dois longas infantis, 55 curtas nacionais, além de 43 longas estrangeiros e 11 longas ibero-americanos. Apenas um longa-metragem animação foi inscrito: Peixonauta – O Filme, que receberá uma menção honrosa. Ao todo, 1986 profissionais foram inscritos na disputa e mais de 200 concorrem ao Troféu Otelo.

Confira a lista de indicados:

LONGA-METRAGEM

Melhor Longa-Metragem: Ficção

  • A Voz do Silêncio, de André Ristum
  • Benzinho, de Gustavo Pizzi
  • Chacrinha: O Velho Guerreiro, de Andrucha Waddington
  • O Grande Circo Místico, de Carlos Diegues
  • O Paciente: O Caso Tancredo Neves, de Sergio Rezende

Melhor Longa-Metragem: Documentário

  • A Luta do Século, de Sérgio Machado
  • Ex Pagé, de Luiz Bolognesi
  • My Name is Now, Elza Soares, de Elizabete Martins Campos
  • O Processo, de Maria Augusta Ramos
  • Todos os Paulos do Mundo, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira

Melhor Longa-Metragem: Animação

  • Peixonauta – O Filme [MENÇÃO HONROSA]

Melhor Longa-Metragem: Infantil

  • Detetives do Prédio Azul 2 – O Mistério Italiano, de Viviane Jundi
  • O Colar de Coralina, de Reginaldo Gontijo

Melhor Longa-Metragem: Comédia

  • Minha Vida em Marte, de Susana Garcia
  • Mulheres Alteradas, de Luis Pinheiro
  • Não se Aceitam Devoluções, de André Moraes Torres
  • Os Farofeiros, de Roberto Santucci
  • Todas as Razões para Esquecer, de Pedro Coutinho
  • Uma Quase Dupla, de Marcus Baldini

Melhor Direção

  • Aly Muritiba, por Ferrugem
  • Andrucha Waddington, por Chacrinha: O Velho Guerreiro
  • Carolina Jabor, por Aos Teus Olhos
  • Gabriela Amaral Almeida, por O Animal Cordial
  • Gustavo Pizzi, por Benzinho

Melhor Atriz

  • Adriana Esteves, por Canastra Suja
  • Débora Falabella, por O Beijo no Asfalto
  • Grace Passô, por Praça Paris
  • Karina Teles, por Benzinho
  • Marjorie Estiano, por As Boas Maneiras

Melhor Ator

  • Daniel de Oliveira, por 10 Segundos para Vencer
  • Lázaro Ramos, por O Beijo no Asfalto
  • Murilo Benício, por O Animal Cordial
  • Otávio Müller, por Benzinho
  • Othon Bastos, por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
  • Stepan Nercessian, por Chacrinha: O Velho Guerreiro

Melhor Atriz Coadjuvante

  • Adriana Esteves, por Benzinho
  • Fernanda Montenegro, por O Beijo no Asfalto
  • Gilda Nomace, por As Boas Maneiras
  • Laura Cardoso, por Encantados
  • Marjorie Estiano, por Paraíso Perdido
  • Sandra Corveloni, por 10 Segundos para Vencer

Melhor Ator Coadjuvante

  • Ailton Graça, por Mare Nostrum
  • Enrique Diaz, por Ferrugem
  • Matheus Nachtergaele, por O Nome da Morte
  • Milhem Cortaz, por Canastra Suja
  • Otávio Müller, por O Beijo no Asfalto
  • Otávio Müller, por O Paciente: O Caso Tancredo Neves

Melhor Direção de Fotografia

  • Fernando Young por Chacrinha: O Velho Guerreiro
  • Gustavo Hadba, ABC, por Motorrad
  • Gustavo Hadba, ABC, por O Grande Circo Místico
  • Lula Carvalho, ASC/ABC, por 10 Segundos para Vencer
  • Mauro Pinheiro Jr por Unicórnio
  • Walter Carvalho, ABC, por O Beijo no Asfalto

Melhor Roteiro Original

  • Aly Muritiba e Jéssica Candal por Ferrugem
  • André Ristum por A Voz do Silêncio
  • Claudio Paiva, Julia Spadaccini e Carla Faour por Chacrinha: O Velho Guerreiro
  • Gabriela Amaral Almeida por O Animal Cordial
  • Juliana Rojas e Marco Dutra por As Boas Maneiras
  • Karine Teles e Gustaco Pizzi por Benzinho

Melhor Roteiro Adaptado

  • Carlos Diegues e George Moura inspirado no poema “O Grande Circo Místico”, de Jorge de Lima por O Grande Circo Místico
  • Felipe Hirsch baseado no livro Severina, de Rodrigo Rey Rosa por Severina
  • Gustavo Lipsztein adaptado da obra O Paciente, o caso Tancredo Neves, de Luis Mir por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
  • Jorge Furtado, Ana Luiza Azevedo e Vicente Moreno adaptado da obra Rasga Coração, de Oduvaldo Vianna Filho por Rasga Coração
  • Murilo Benício adaptado da obra O Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues por O Beijo no Asfalto

Melhor Direção de Arte

  • André Weller por Unicórnio
  • Artur Pinheiro por O Grande Circo Místico
  • Dina Salem Levy por Benzinho
  • Marcos Flaksman por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
  • Rafael Targat por Chacrinha: O Velho Guerreiro

Melhor Figurino

  • Diana Leste por Benzinho
  • Flávia Lhacer por O Doutrinador – O Filme
  • Kika Lopes por O Grande Circo Místico
  • Kika Lopes por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
  • Marcelo Pies por 10 Segundos para Vencer
  • Marcelo Pies por Chacrinha: O Velho Guerreiro

Melhor Maquiagem

  • Adriano Manques por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
  • André Anastácio por O Animal Cordial
  • Catherine Leblanc Caraes e Emmanuelle Fèvre por O Grande Circo Místico
  • Marlene Moura por Chacrinha: O Velho Guerreiro
  • Martín Macías Trujillo por 10 Segundos para Vencer

Melhor Efeito Visual

  • Claudio Peralta por Chacrinha: O Velho Guerreiro
  • Cyrille Bonjean, Guilherme Ramalho, Hugo Gurgel, Guillaume Castagné, Nicolas Herlin e Eduardo Schaal por As Boas Maneiras
  • Marcelo Siqueira, ABC e Thierry Delobel por O Grande Circo Místico
  • Marcelo Siqueira, ABC, por Motorrad
  • Marco Prado por O Doutrinador – O Filme

Melhor Montagem: Ficção

  • Gustavo Giani por A Voz do Silêncio
  • Idê Lacreta por O Animal Cordial
  • Livia Serpa por Benzinho
  • Lucas Gonzaga por Motorrad
  • Mais Tavares e Daniel Garcia por O Grande Circo Místico
  • Thiago Lima por Chacrinha: O Velho Guerreiro


Melhor Montagem: Documentário

  • Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira por Todos os Paulos do Mundo
  • Karen Akerman por O Processo
  • Karen Harley por Hilda Hilst pede Contato
  • Lorena Ortiz e Pablo Paniagua por My Name is Now, Elza Soares
  • Natara Ney por A Última Abolição
  • Ricardo Farias por Ex Pajé
  • Yan Motta por Soldados do Araguaia

Melhor Som

  • Christophe Penchenat, A.F.S.I, Simone Petrillo e Emmanuel Croset, por O Grande Circo Místico
  • Gabriela Cunha, Bernardo Uzeda e Christophe Vingtrinier, por As Boas Maneiras
  • Gabriela Cuha, Daniel Turini, Fernando Henna, por O Animal Cordial
  • George Saldanha, Roberto Ferraz e Andre Tadeu, por Legalize Já – A Amizade Nunca Morre
  • Jorge Rezende, Eduardo Hamerschlak, Alan Zilli e Armando Torres Jr., ABC, por O Doutrinador – O Filme
  • Jorge Saldanha, Armando Torres Jr, ABC, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond Lima e Renan Deodado, por Chacrinha: O Velho Guerreiro

Melhor Trilha Sonora Original

  • Antonio Pinto, por Chacrinha: O Velho Guerreiro
  • Antonio Pinto, por O Banquete
  • Berna Ceppas, por 10 Segundos para Vencer
  • Edu Lobo, por O Grande Circo Místico
  • Elza Soares e Alexandre Martins, por My Name is Now, Elza Soares

Melhor Trilha Sonora

  • Fábio Góes, por Detetives do Prédio Azul 2 – O Mistério Italiano
  • Frejat, Leoni e Vinicius Cantuária, por Intimidade entre Estranhos
  • Maria Gadú, por Todas as Canções de Amor
  • Mauricio Nader, por Rasga Coração
  • Sinai Scanzerla, por O Desmonte do Monte
  • Yan Motta, por Soldados do Araguaia
  • Zeca Baleiro, por Paraiso Perdido

Melhor Longa-Metragem Estrangeiro

  • A Forma da Água/The Shape of Water (EUA), dirigido por Guillermo del Toro
  • Bohemian Rhapsody/Bohemian Rhapsody (EUA), dirigido por Bryan Singer
  • Eu, Tonya/I’ Tonya (EUA), dirigido por Craig Gillespie
  • Infiltrado na Klan/Blackkklansman (EUA), dirigido por Spike Lee
  • Me Chame pelo Seu Nome/Call Me By Your Name (EUA), dirigido por Luca Guadagnino
  • Nasce Uma Estrela/A Star is Born (EUA), dirigido por Bradley Cooper
  • The Square – Arte da Discórdia/The Square (Suécia, Alemanha, França, Dinamarca), dirigido por Ruben Östlund
  • Três Anúncios para Um Crime/Three Bilboards Outside Missouri (EUA), dirigido por Martin McDonagh

Melhor Longa-Metragem Ibero-Américano

  • A Noiva do Deserto/La Novia Del Desierto (Argentina), dirigido por Cecilia Atán e Valeria Pivato
  • Alguém Como Eu (Brasil, Portugal), dirigido por Leonel Vieira
  • As Herdeiras/Las Herederas (Paraguai, Alemanha, Brasil, Uruguai, Noruega, França), dirigido por Marcelo Martinessi
  • Cachorros/Los Perros (Chile), dirigido por Marcela Said
  • Uma Noite de 12 Anos/La Noche de 12 Años (Argentina, Espanha, Uruguai), dirigido por Álvaro Brechner

CURTA-METRAGEM

Melhor Curta-Metragem: Animação

  • Aquário, de Alice Andreoli Hirata
  • Guaxuma, de Nara Normande
  • Lé com Cré, de Cassandra Reis
  • O Malabarista, de Iuri Moreno
  • Sobre a Gente, de Alunos do Projeto Animação

Melhor Curta-Metragem: Documentário

  • Azul Vazante, de Júlia Alquéres
  • Copacabana Aushwitz, de Jaiê Saavedra
  • Cor de Pele, de Livia Perini
  • Maré, de Amaranta Cesar
  • Um Corpo Feminino, de Thais Fernandes

Melhor Curta-Metragem: Ficção

  • Adeus à Carne, de Julia Anquier
  • Nova Iorque, de Leo Tabosa
  • O Menino Pássaro, de Diogo Leite
  • O Órfão, de Carolina Markowicz
  • Peripatético, de Jessica Queiroz

SÉRIE BRASILEIRA

Melhor Série: Ficção

  • Boris e Rufus
  • Cupcake e Dino: Serviços Gerais
  • Irmão do Jorel
  • Vivi Viravento
  • O Show da Luna! – 4ª Temporada

Melhor Série: Documentário

  • Aeropoto – Área Restrita – 2ª Temporada
  • Arquitetos
  • De Carona com os Óvnis
  • Inhotim – Arte Presente
  • Mil Dias – A Saga da Construção de Brasília

Melhor Série: Animação

  • A Lei do Riso – Crimes Bizarros
  • Escola de Gênios – 1ª Temporada
  • Mostra Tua Cara!
  • Natália – 2ª Temporada
  • Z4

O Grande Prêmio apresenta um vasto panorama da indústria audiovisual brasileira e os profissionais e filmes finalistas refletem a pluralidade do nosso cinema. O objetivo da Academia é representar todas as gerações de cineastas”, diz o presidente da Academia Brasileira de Cinema, Jorge Peregrino.

Os vencedores serão escolhidos no segundo turno, a partir de sexta-feira, 21 de junho, quando além dos membros da Academia, o público vota nos seus favoritos nas categorias Melhor Longa-Metragem Ficção, Melhor Longa-Metragem Documentário, Melhor Longa-Metragem Estrangeiro e Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano.

Homenagem

Atriz, cantora, mãe de seis filhlos, ativista na luta contra o racismo, Zezé Motta será a grande homenageada desta edição, que tem como tema a música no cinema. Com 50 anos de carreira, Zezé, lançou 14 discos, fez mais de 40 filmes, além de 35 novelas. Na tela grande, destacam-se Vai trabalhar, vagabundo, de Hugo Carvana (1973), Xica da Silva (1976) e Quilombo (1984), ambos de Cacá Diegues, Anjos da noite, de Wilson Barros (1987), Tieta do Agreste (1996) e Orfeu (1998), novamente sob direção de Cacá, Cronicamente inviável, de Sérgio Bianchi (2000) e Bróder, de Jefferson De (2010).

A Academia Brasileira de Cinema é presidida por Jorge Peregrino e a diretoria é composta por Paulo Mendonça (diretor vice-presidente), Bárbara Paz (diretora secretária), Alexandre Duvivier (diretor financeiro) e Iafa Britz (diretora social).

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.