15 sugestões de filmes de terror disponíveis na Netflix Brasil para aproveitar neste Halloween

Para aproveitar esse mês de um jeito digno de Halloween, montamos uma lista de 15 filmes de terror disponíveis no catálogo da Netflix Brasil. Tem um pouco de tudo para todos: forças sobrenaturais, demoníacas, zumbis e até vampiros. Vem conferir!

1. A Bruxa

Uma família com mãe, pai e cinco crianças são expulsas de sua comunidade na Nova Inglaterra, na época da recente imigração, em 1630. O filho mais novo, recém-nascido, desaparece sem explicação e a colheita que lhes garante alimento para sobrevivência parece não estar crescendo. A família acredita estar sendo amaldiçoada por uma força externa que, naquela época, acreditava-se tomar a forma de uma mulher, uma bruxa.

A Bruxa é um filme um tanto peculiar quando se trata do terror. É um verdadeiro divisor de água entre os fãs do gênero, o “ame ou odeie”. Sua tensão não está na narrativa em si, mas se destaca em aspectos técnicos como o som, enquadramentos, atuações. O verdadeiro horror do filme é o medo que os personagens dele sentem no contexto em que estão inseridos: o pavor causado pela religião e a crença de que uma força maior castiga o homem.

2. Sobrenatural

Recém-mudados para uma casa nova, uma família com um casal e dois filhos começa a experienciar acontecimentos estranhos e logo em seguida uma das crianças entra em coma de forma inexplicável. Suspeitando ser a casa, o casal vê como opção se mudar novamente para um outro lugar, mas nenhuma melhora é percebida. Eles acabam descobrindo que o problema não estava no lugar, e sim no menino.

Dentre os longas dirigido pelo mais novo mestre do horror, James Wan, Sobrenatural está listada como uma das 5 franquias mais bem sucedidas do gênero – nos quais outros 2 também são dirigidos ou criadas por ele. Wan, sendo fã de filmes de terror desde jovem, faz filmes para um público no qual está inserido, ou seja, sabe exatamente o que gostam de ter nas telas. Ótimo suspense, ótimas sequências assustadoras.

3. Verónica

Do mesmo diretor de REC, Paco Plaza, esse longa assustador narra a história real de uma menina de 14 anos que foi encontrada morta de forma misteriosa em Vallecas, na Espanha.

Verónica (Sandra Escacena) é uma adolescente cuja responsabilidade sobre seus irmãos mais novos é como de uma mãe, já que a sua parece se preocupar mais com cuidar de seu bar do que de sua família. Durante um eclipse, Verónica e suas amigas decidem brincar com um tabuleiro de ouija, fazendo coisas estranhas acontecerem. Após a brincadeira, a menina começa a perceber que invocou uma força maligna que está atrás dela e de sua família.

4. Boneco do Mal

A jovem Greta (Lauren Cohan) aceita um trabalho cuja tarefa é ser babá de um garoto de 8 anos. Ao chegar à enorme casa da família Heelshire e conhecer os pais da criança, Greta descobre que, na realidade, sua missão ali é vigiar um boneco. Seus donos o tratam como se fosse realmente seu filho e lista uma série de regras sobre como lidar com o “garoto”. Greta, zombando da situação, acaba não seguindo as regras e eventos inexplicáveis passam a acontecer, fazendo a jovem duvidar sobre o boneco ser apenas um ser inanimado.

Uma ótima surpresa. O filme caminha por uma linha que o telespectador talvez não imagine inicialmente. Sua atmosfera cativa do início ao fim, de cada dúvida a cada revelação.

5. Jogo Perigoso

Baseada na obra do mestre do suspense literário, Stephen King, Jogo Perigoso narra a história de um casal que viaja para uma casa de campo isolada para um fim de semana íntimo e romântico. Como brincadeira sexual, Gerald (Bruce Greenwood) algema sua mulher Jessie (Carla Gugino) na cama e tragicamente sofre de um infarto logo em seguida. Deixada durante horas sem qualquer suplemento, presa à cabeceira sem a possibilidade de buscar ajuda, Jessie começa a duvidar de sua lucidez enquanto tenta diversas maneiras de sair dali.

O filme, desde que foi adicionado ao catálogo da Netflix, recebeu respostas altamente positivas do público. Se a sensação da adrenalina pelo nervosismo causado por filmes de terror que você procura neste halloween, Jogo Perigoso é o filme perfeito para você.

6. Corrente do Mal

No aclamado entre críticos e fãs do gênero terror, em Corrente do Mal acompanhamos a jovem Jay (Maika Monroe) que após um traumático encontro sexual, passa a ter visões e acredita estar sendo perseguida por estranhas figuras. Com a ajuda de seus amigos, a jovem logo descobre que está sendo perturbada por uma força maligna sexualmente transmissível e que se não conseguir se livrar logo dela, irá sofrer irreversíveis consequências.

7. Madrugada dos Mortos

Neste longa dirigido por Zack Snyder (o mesmo!) e repleto de mortos-vivos, Sarah Polley interpreta Ana, uma mulher que ao acordar numa manhã para encarar sua rotina diária normal, se depara com sua vizinhança inteira sendo tomada por uma legião de infectados famintos por carne humana. Ana encontra refúgio em um shopping Center, se unindo com um grupo de sobreviventes, mas logo descobre que não podem ficar ali para sempre.

Criativo, divertido, humano. Zack Snyder consegue criar uma atmosfera interessante em uma história de mortos vivos. Apesar do tema já ter sido reproduzido diversas vezes ao longo dos anos, o filme ainda surpreende. Uma ótima dica para quem gosta de zumbis.

8. Ao Cair da Noite

Após um acontecimento desconhecido que leva famílias a se isolarem das cidades, da vida em sociedade e viverem de forma independente, Paul (Joel Edgerton) tem sua vida em uma casa no meio da floresta com sua esposa e filho. Certo dia, um estranho aparece em sua propriedade pedindo ajuda. O filme se concentra na tensão da desconfiança, e até onde se pode ajudar ou não em alguém que não seja sua família.

Ao Cair da Noite é um filme diferente. Apesar de ter sido vendido como um filme de terror, ele na realidade apenas se utiliza da tensão e atmosfera proporcionada em um longa-metragem deste gênero. Sua premissa na realidade nada mais é do que o sentimento de dúvida, a desconfiança, o medo do desconhecido. Ótimas atuações, ótimo roteiro.

9. Invasão Zumbi

Um pai e uma filha embarcam em um trem saindo de Seul em direção a Busan. No meio da viagem, entretanto, em uma estação intermediária, o trem é invadido por zumbis, que atacam vários tripulantes e aos poucos infectam todos ali. Começa então a luta pela sobrevivência para poderem, pelo menos, chegarem ao seu destino.

Definitivamente um dos filmes do sub-gênero mortos vivos mais aclamados de todos os tempos. O filme consegue fazer o telespectador se conectar com os personagens, seja positiva ou negativamente. E, além de tudo, uma bela história de um pai tentando proteger sua filha.

10. Deixe-me Entrar

Owen (Kodi Smit-McPhee) é um menino de 12 anos que constantemente sofre bullying na escola que passa seu tempo sozinho planejando uma vingança para aqueles que lhe perturbam. Um dia, uma menina de seu tamanho e um homem mais velho, que aparenta ser seu pai, se mudam para o apartamento ao lado do seu. Ele logo descobre que Abby (Chloe Moretz) é uma menina mais diferente do que ele imagina.

O filme é uma refilmagem do sueco Deixa Ela Entrar, vencedor de di versos prêmios na Europa. Carrega consigo o mesmo clima de tensão, que muito se dá pela própria premissa, transferível do outro filme. Algumas mudanças negativas, mas não impedem de Deixa-me Entrar ser um ótimo divertimento para o Dia das Bruxas.

11. Os Outros

O filme se passa durante a Segunda Guerra Mundial, em que Grace (Nicole Kidman) vive com seus dois filhos em uma mansão isolada, esperando que seu marido volte logo da guerra. Ela lida com a doença de seus filhos, que não podem ter contato algum com a luz do sol e logo contrata empregados para que a auxiliem na manutenção da casa, porém eles não seguem as regras e parecem estar ali para dificultarem as coisas para Grace.

Surpreendente. Não há outra palavra que possa descrever melhor Os Outros. No contexto em que foi feito, não havia muitos filmes de suspense para um grande público que utilizavam o “plot twist” (ou reviravolta) como elemento narrativo. Uma trama inteligente, com aspectos técnicos belíssimos: fotografia, trilha sonora, atuações e direção em perfeita harmonia.

12. A Babá

O jovem Cole (Judah Lewis) sofre com alguns garotos da vizinhança o perturbando, mas tem sua babá Bee (Samara Weaving) o defendendo. Durante uma noite que ela fica encarregada de cuidar do garoto e o prepara para dormir, Cole desce para a sala e acaba vivenciando algo bizarro que inclui Bee, alguns amigos e uma espécie de ritual.

Para quem disse que o trash estava morto, nunca esteve tão errado. A Babá é um engraçadíssimo filme repleto de humor negro e muito, muito sangue falso. Com personagens hilários como Allison, interpretada por Bella Thorne, a tensão também presente e o espectador acompanha cada surpresa através do protagonista Cole, na faixa de seus 13 anos. Tenso e sem muito clichês, cômico na medida certa.

13. O Babadook

Uma mulher viúva cuida de seu filho hiperativo sozinha após a morte trágica de seu marido. Tendo dificuldades para lidar com o jeito do menino, ela acha um livro com uma história um tanto quanto perturbadora, e o joga no lixo. No dia seguinte, o livro aparece na porta de sua casa. Ela então começa a vivenciar coisas estranhas e suspeita que uma força maligna está perseguindo sua família.

Apesar de ser um filme de terror, O Babadook não deve, de forma alguma, ser interpretado de forma literal. É imprescindível que seu espectador saiba que a forma escura que assombra a protagonista nada mais é do que uma alegoria, tendo seu significado revelado por uma série de elementos que caracterizam sua rotina. Profundo e com muitas interpretações – até pessoais – diferenciadas, O Babadook de Jennifer Kent é certamente um dos destaques da nova era do terror independente.

14. Scare Campaign

Conhecido como Scare Campaign, um programa de TV prega pegadinhas com uma equipe de atores e câmeras escondidas. Uma das pegadinhas, no entanto, ultrapassa os limites e um dos participantes começa a levar a brincadeira a sério demais, colocando toda a produção do programa em risco.

Scare Campaign é para aqueles que se divertem com o terror, quem arregalam os olhos nas salas de cinema ou dizem em voz alta para o personagem correr porque tem algo atrás dele. É divertido e despretensioso. Não promete nada mais do que diz ser, é simples e agradável de ver.

15. Hush

Maddie Young (Kate Siegel) perdeu a audição logo jovem e vive em uma casa em uma floresta longe de vizinhos. Uma noite, um homem mascarado decide a perturbar e aterrorizar, sem mesmo saber que Maddie não consegue ouvir nada. Ela precisa, então, sobreviver até conseguir ajuda.

Em um clima bem parecido com o de Os Estranhos, Hush é um filme que sem pretensão alguma consegue criar uma atmosfera de deixar o espectador inquieto do seu início ao seu fim. Com um roteiro curto e sem nenhum tipo de embromação – um ótimo aspecto, pois devemos admitir que é algo encontrado em massa neste gênero – Hush faz com que suas sequências deixe qualquer um aflito.

 

Todos os filmes citados estão disponíveis na Netflix Brasil.